Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Leão se propõe a fazer hora extra com Marlos como fez com Robinho

Em 2002 e principalmente em 2003, enquanto Robinho já se destacava com seus dribles, Emerson Leão acompanhava treinamentos separados e individuais do astro, fora do horário das atividades do resto do grupo, visando melhora nas finalizações. No São Paulo, o alvo de atenção especial similar pode ser Marlos.

O meia-atacante ainda não pediu, mas tem o treinador à disposição para melhorar quesitos que o próprio chefe considera deficientes, como os chutes a gol. Contestado por parte da torcida, Marlos tem a confiança de Leão, que o transformou em titular logo em seus dois primeiros jogos nesta passagem pelo Tricolor.

‘Terei prazer em ficar mais tempo, se necessário, com ele. Assim, o Robinho aprendeu rapidamente. O Marlos é inteligente e tem técnica para melhorar’, elogiou Leão, que conversa seguidamente com o atleta depois de suas jogadas em treinos, principalmente as equivocadas.

O cuidado também é visto no trato do técnico com outros atletas, como Lucas e Carlinhos Paraíba, por exemplo. Mas o treinador que fez o então criticado Diego Tardelli viver sua melhor fase no São Paulo, sendo campeão e artilheiro do Paulista de 2005, está com pensamento fixo em Marlos desta vez.

‘Os fundamentos serão necessários muito mais para o Marlos, mesmo que não só para ele’, argumentou o ex-goleiro. Na manhã desta terça-feira, o chefe fez cobranças seguidas ao meia-atacante, independentemente se ele cruzava, tabelava, driblava ou finalizava.

‘É pelo potencial dele’, justificou Leão, que logo na sequência usou sua principal arma para motivar seus jogadores: transferir a responsabilidade de sua ação ao comandado. ‘Não peguei muito no pé do Marlos. Ele que errou demais e me obrigou a falar mais com ele.’