Clique e assine a partir de 9,90/mês

Guarani desiste de Roger, que pode ir para a Ponte

Por Da Redação - 19 jan 2012, 18h31

Por AE

Campinas – Sonho de consumo da diretoria do Guarani para a disputa do Campeonato Paulista, o atacante Roger não vai mais vestir a camisa alviverde, mas seu futuro pode continuar sendo Campinas. Na noite desta quarta-feira, o presidente Marcelo Mingone anunciou a desistência no jogador, que entrou na mira do rival. As conversas, inclusive, já teriam sido iniciadas.

Diante desse grande imbróglio, a assessoria de comunicação do Guarani comunicou através do site oficial do clube a desistência no acordo. O argumento foi de que “o Guarani não entra em leilões e, portanto, Roger é um caso encerrado. A partir de agora, visando suprir as necessidades do time, o clube irá buscar outro atacante”.

O jogador respondeu: “Se faltou ética não foi nossa, se faltou vontade não foi nossa. A presidência do Guarani tem que ter postura e assumir. A diretoria tem que vim ao ar e assumir que faltou competência deles para resolver o que estava muito fácil. É muito fácil falar mal do meu empresário, que ofereceu para A, B ou C. Eles não foram competentes para resolver essa situação”, disparou Roger, que não descartou defender a Ponte.

Continua após a publicidade

Durante as conversas com o Guarani, o clube se propôs a pagar R$ 40 mil mensais e esperava que o Kashiwa Reysol-JAP pagasse os R$ 100 mil restantes do salário do jogador. Além disso, haveria um acordo para que o Guarani pagasse sua dívida com o atacante – de cerca de R$ 210 mil -, pela primeira passagem em 2010. Detentor dos direitos econômicos de Roger, o clube japonês, no entanto, não se mostrou muito satisfeito com a proposta. Por conta disso, impôs uma cláusula de que o jogador ficaria no Brinco de Ouro apenas até o Paulistão, em meados de maio.

O Atlético-PR era outro clube que havia demonstrado interesse na contratação de Roger, mas também não aceitou o fato de contar com o atacante apenas para a disputa do Paranaense e não deu seguimento nas conversas. Agora, a Ponte é o único clube que está tentando contar com seu futebol para 2012.

Publicidade