Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em 89, ‘mala’ vascaína incentivou eliminado Timão a vencer Verdão

A possibilidade que o Palmeiras tem de impedir o título do maior rival, no domingo, já foi vivida pelo outro lado há 21 anos. Em 10 de dezembro de 1989, na última rodada da segunda fase do Campeonato Brasileiro, o Corinthians chegou ao clássico paulista eliminado e conseguiu impedir a classificação alviverde à decisão ao vencer por 1 a 0, com belo gol de calcanhar de Cláudio Adão, no Morumbi. Quem ficou com a vaga – e superou o São Paulo na final – foi curiosamente o Vasco, agora concorrente do Timão em 2011.

Segundo o ex-atacante Basílio, treinador do Corinthians na ocasião, além da motivação habitual de saírem vitoriosos do clássico, os jogadores receberam promessa de premiação extra da outra equipe envolvida. ‘Houve incentivo. Os atletas apareceram com a proposta de uma pessoa que ficou de levá-los um valor para que ganhassem do Palmeiras. Nessas horas, diretor nunca aparece. Quem aparece é empresário ou alguém que conhece o jogador do time. Mas isso nunca se leva diretamente aos dirigentes dos clubes. É que nem rabo de cobra. Você sabe que tem, mas nunca de onde vem’, explicou o ídolo corintiano.

‘Dopado financeiramente’, o time do Parque São Jorge surpreendeu após realizar campanha fraca em toda a segunda fase, dominando o adversário desde o começo do jogo. Aos 34 minutos, Cláudio Adão recebeu lançamento de Fabinho e, à frente do zagueiro Toninho, girou e tocou de calcanhar para bater Veloso, diante de 34.627 pagantes. Vinte e um anos depois, o Palmeiras se encontra em circunstância muito parecida. Claudicante no segundo turno da competição nacional, a equipe do Palestra Itália tem como objetivo único estragar a festa do ponteiro na última rodada. Para impedir que isso ocorra, o Corinthians necessita só de empate – se for derrotado, terá que contar com tropeço do vice-líder (e concorrente derradeiro ao título) Vasco diante do Flamengo.

PRESIDENTE SUGERIU ENTREGA

‘Se depender do meu voto, o Corinthians amolece o jogo só para o Vasco ficar fora das finais do Campeonato Brasileiro’, disse o então presidente do Corinthians, Vicente Matheus, antes da partida. Ele estava revoltado com a arbitragem do pernambucano Gilson Ramos Cordeiro no revés para os cariocas, contudo mudou discurso depois da vitória. ‘Só disse que poderíamos entregar o jogo no início da semana em um momento de nervosismo. A Fiel sabe que ganhar do Palmeiras é tão bom quanto conquistar título. Eu só queria ver agora a cara dos que disseram que o Corinthians era timinho’, provocou.

‘Vai ser a mesma coisa, vai ser difícil agora para o Corinthians’, prevê Basílio. ‘Antes de clássico, a preparação e a consciência dos jogadores são maiores. E deve haver incentivo desta vez também. Estão tentando jogar a responsabilidade para o Corinthians, que apesar disso tem um grupo muito experiente. Conversei com o Tite na terça-feira. Ele tem o grupo nas mãos. Dá para ver nas entrevistas que a empolgação vem só de fora, estão focados’.

Em 1989, dizia-se que Neto pretendia, se vencesse, entregar sua camisa ao técnico adversário, Emerson Leão, de quem havia virado desafeto na passagem pelo Palmeiras. Com a vitória consumada, porém, o polêmico meia fez questão de negar que tivesse dito isso. Ele inclusive começou a partida no banco, pois, segundo Basílio, estava acima do peso ideal. Mas ao final da partida deste domingo, assim como ocorreu em todos os dérbis, um lado vai provocar o rival e comemorar um final de ano mais feliz. Com ou sem ‘mala branca’ para bancar as festas.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 0 PALMEIRAS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 10 de dezembro de 1989 (domingo)

Horário: 17 horas (de Brasília)

Árbitro: Wilson Carlos dos Santos (RJ)

Assistentes: Daniel Fernandes e Edie Mauro Detofoli (ambos de SP)

Cartões amarelos: Márcio (Corinthians); Careca (Palmeiras)

Cartão vermelho: Denis (Corinthians)

Público: 34.267 pagantes

Renda: Cz$ 778.024,00

CORINTHIANS: Ronaldo; Giba, Marcelo, Jorge Luís e Denis; Márcio, Barbiéri e Eduardo (Neto); Fabinho, Cláudio Adão e João Paulo (Dama)

Técnico: Basílio

PALMEIRAS: Velloso; Édson, Toninho, Marco Antônio e Dida; Júnior, Careca e Bandeira (Arnaldo); Mirandinha, Gaúcho e Paulinho Carioca (Ditinho Souza)

Técnico: Emerson Leão

LEIA MAIS:

Palmeirense vê tremedeira corintiana e ‘exige’ bicho do Vasco

Satisfeito com reação, Frizzo promete ‘dragão’ diante do Timão