Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

UFC 200: Anderson Silva não resiste à força de Cormier

Chamado às pressas para substituir Jon Jones, brasileiro foi dominado pelo campeão meio-pesado e perdeu por decisão unânime. Mas deixou octógono aplaudido

O brasileiro Anderson Silva fez um papel digno ao substituir Jon Jones de última hora, mas não conseguiu voltar a vencer no UFC. Na madrugada deste domingo, o brasileiro foi derrotado pelo americano Daniel Cormier, o campeão meio-pesado, no badalado UFC 200, em Las Vegas, por decisão unânime da arbitragem. A luta, que teve apenas três rounds e não valia cinturão, decepcionou o público pela falta de ação, mas Anderson deixou o octógono aplaudido por seu esforço.

Anderson descansava em sua casa em Los Angeles na quinta-feira quando apareceu a oportunidade de substituir Jon Jones, cortado por doping, no maior evento da história do UFC. Mesmo sem treinar adequadamente e sendo bem mais leve que o oponente – o brasileiro disputava a categoria dos médios (até 84 quilos), enquanto Cormier reina entre os meio-pesados (até 93 quilos) – Anderson topou a luta, vista por ele como uma oportunidade para ressurgir após uma sequência de decepções.

UFC 200: Aldo bate Edgar e conquista título interino

Apesar da derrota, o atleta de 41 anos foi bastante aplaudido e celebrou a chance de participar do megaevento, na arena onde tantas vezes brilhou como campeão. “Para mim foi um grande desafio pessoal aceitar essa luta, porque eu consegui colocar em prática tudo o que eu desenvolvi nesses anos. Estou acostumado a treinar com caras pesados, como meu mestre Minotauro, Minotouro, Jacaré, que será o próximo campeão, mas senti um pouco porque estava sem treinar. Mas foi bom, minha equipe está toda de parabéns. Para mim foi uma vitória, vim aqui para me colocar à prova”, disse Anderson ao deixar o octógono.

Ronda Rousey assume namoro com lutador acusado de violência doméstica

Anderson Silva não vence oficialmente uma luta desde outubro de 2012, quando derrotou o americano Stephan Bonnar, no Rio de Janeiro. Desde então, o brasileiro perdeu duas vezes para Chris Weidman, venceu Nick Diaz, mas o combate foi dado como “sem resultado” porque os dois foram pegos em exames antidoping, e perdeu novamente, em 27 de fevereiro, para o britânico Michael Bisping, em Londres, em duelo com resultado contestado. Ele ainda ficou de fora do UFC 198, em Curitiba, em maio, por causa de uma inflamação na vesícula biliar que o obrigou a passar por cirurgia.

A luta – Bem mais pesado e preparado, Cormier conseguiu o que queria logo no início: levar a luta para o chão. O americano acertou cotoveladas certeiras e fez Anderson sangrar (algo bastante raro na carreira do brasileiro) logo no primeiro round. Anderson tentou reagir no segundo assalto, com chutes que não assustaram Cormier, mas novamente a luta foi para o chão, sem grandes emoções.

No fim do segundo round, Anderson conseguiu, enfim, entrar na luta, animando a torcida – muitos americanos pareciam torcer pelo brasileiro – mas Cormier manteve sua vantagem. O terceiro round começou intenso, com Anderson buscando a trocação, mas, para decepção do público, Cormier novamente pegou as penas do brasileiro e o castigou com socos. Com a falta de ação na luta, o árbitro obrigou os dois a se levantarem, mas Anderson, claramente cansado, não conseguiu se impor.

Resultados do UFC 200:

Card principal:

Amanda Nunes venceu Miesha Tate por finalização no 1º round

Brock Lesnar venceu Mark Hunt por decisão unânime (triplo 29-27)

Daniel Cormier venceu Anderson Silva por decisão unânime (triplo 30-26)

José Aldo venceu Frankie Edgar por decisão unânime (49-46, 49-46 e 48-47)

Cain Velásquez venceu Travis Browne por nocaute técnico no 1º round

Card preliminar:

Julianna Peña venceu Cat Zingano por decisão unânime (triplo 29-28 )

Kelvin Gastelum venceu Johny Hendricks por decisão unânime (30-27, 29-28 e 30-27)

TJ Dillashaw venceu Raphael Assunção por decisão unânime (triplo 30-27)

Sage Northcutt venceu Enrique Marin por decisão unânime (triplo 29-28 )

Joe Lauzon venceu Diego Sanchez por nocaute técnico no 1º round

Gegard Mousasi venceu Thiago Marreta por nocaute no 1º round

Jim Miller venceu Takanori Gomi por nocaute técnico no 1º round

(da redação)