Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Não discuto sobre meu dinheiro’, diz Maitê Proença

A atriz fala sobre pensão que recebe do governo por ser filha solteira de pai desembargador já falecido

A atriz Maitê Proença apareceu recentemente em um lista de mulheres beneficiadas por pensão paga pelo governo a filhas solteiras de determinados funcionários públicos. Ela recebe o benefício desde 1989, quando morreu seu pai, o desembargador Eduardo Gallo. Nesta sexta, durante o programa Mariana Godoy Entrevista, da Rede TV!, a atriz falou sobre o assunto, depois que um telespectador abordou a questão. “Esse benefício – que dizem que era de militar, mas meu pai nunca foi militar – ele pagou a vida inteira, então está pago. Saiu do salário dele mensalmente, foi um benefício pago pelo imposto, pelo imposto específico para isso”, respondeu.

A atriz também foi curta quando questionada sobre o que faz com o dinheiro recebido. “Não vou discutir sobre a minha vida privada e sobre o que faço com o dinheiro. Ele (telespectador) não sabe se faço caridade ou não, se pego esse dinheiro e dou para alguém, ele não sabe nada”.

O benefício da pensão é dado pelo governo do Estado de São Paulo. Maitê tem direito à pensão porque nunca se casou no papel. Ela chegou a perder o benefício na Justiça, porque vivia um relacionamento estável. Mas entrou com um recurso e reverteu a decisão.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Alberto de Araujo

    Lamentável.Mancha a imagem dela. Espero que não exista mais esse direito. É um escracho. O que o pai contribuía para aposentadoria dele.Uma vergonha nacional o direito de pagar a filha solteira. Mas havia. O governo apela para o congresso nacional aprovar uma reforma da previdência. Falida. Não é para menos. Como se vê as contas negativas da previdência , vem de há muito tempo.

    Curtir

  2. sinesio gimene

    a vagaba da maite tem que ir pra cadeia e o juiz que liberou tambem, isto é crime sim, o juiz deve ter levado alguma vantagem dela, será o que heim vagaba

    Curtir

  3. Fárlley Rodrigues

    Legal. Moral?

    Curtir

  4. Paulo Bandarra

    Só sobre o dinheiro dos outros.

    Curtir

  5. Todos que a criticam é só a velha e terrível inveja. Sua pensão é direito adquirido.

    Curtir

  6. Uma vergonha essa mulher receber essa pensão. Tinha perdido o direito da pensão por ter união estável, e isso foi estipulado em lei. Mas a dondoca foi ao judiciário e ganhou a mamata.

    Curtir

  7. Nada de errado, direito é direito.

    Curtir

  8. Ateu Indiferente

    Filha de desembargador merece mais benefícios do que de um pedreiro, engenheiro, psicólogo ou de qualquer outro trabalhador?
    Não!!!
    Se os filhos desses outros profissionais não tem pensão, por que a de desembargadores tem?

    Curtir

  9. Um desembargador ganha mais do que R$ 30k, e após sua morte, precisamos bancar a vida de luxo de senhoras como a Proença? Essa senhora nunca casou no papel para não perder o gordo dinheiro que o pobre lhe dá via impostos! O Temer e seus camarilhas, querem aprovar a previdência, no entanto, não quer tirar os benefícios gordos dos políticos, dos magistrados, da classe correspondente a 1% mais ricas e quer fazer os 99% mais pobres bancarem seus luxos! Essa FAVELA chamada Brasil, nunca será primeiro mundo! Essa Proença, é a cara de um país desigual e corrupto!

    Curtir

  10. severiano filho

    Se a lei dá direito, porque o estardalhaço? Porque é Maitê Proença? Milhares recebem esse tipo de benefício e nunca se piou nada. Afinal, neste País, quem pode falar de legal e moral? Mudem a lei, mas não caiam de pau no direito, carpideiras.

    Curtir