Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Cinco causas de desmotivação no trabalho — e como o chefe pode lidar.

Perder funcionários pode gerar prejuízos à empresa. Especialistas orientam gestores a lidar com funcionários desanimados

Por Luana Massuella Atualizado em 15 jan 2021, 17h00 - Publicado em 24 fev 2015, 19h14

Segundo um estudo global conduzido pelo Hay Group, consultoria de gestão de negócios, os cinco fatores que mais têm impacto na retenção de empregados são confiança na empresa, plano de carreira, equilíbrio entre remuneração e contribuição do funcionário, ambientes que possibilitem efetivação de colaboradores e autoridade e influência ajustadas às responsabilidades.

Leia também:

As 10 coisas que os brasileiros mais odeiam no trabalho

O estudo alerta que a perda de um funcionário pode gerar prejuízos. Segundo a consultoria, se considerados os custos de recrutamento, integração e treinamento para uma nova contratação, uma empresa pode gastar entre 12 e 18 meses de salário para repor um empregado.

Para evitar futuras demissões, é preciso criar um ambiente de trabalho agradável. “Os funcionários valorizam reconhecimentos verbais e feedbacks regulares do chefe”, diz Ricardo Piovan, consultor organizacional.

VEJA.com ouviu especialistas sobre as principais causas de desmotivação na equipe e como o gestor pode lidar com o problema:

Continua após a publicidade
Publicidade