Clique e assine a partir de 9,90/mês

Temer agradece presidente chinês por retomar importação de carne

Neste sábado, a China, segundo maior comprador da carne brasileira, demonstrou interesse em retomar importações do produto

Por Da redação - Atualizado em 25 mar 2017, 13h57 - Publicado em 25 mar 2017, 12h33

O presidente Michel Temer usou sua conta no microblog Twitter para agradecer o presidente da China, Xi Jinping, após país anunciar retomada da importação da carne brasileira.

Em nota, Temer afirma que decisão do governo chinês é reconhecimento da “confiabilidade do sistema de defesa agropecuária brasileiro”. “Nosso país construiu grande reputação internacional neste segmento. E o posicionamento chinês é a confirmação de todo trabalho de esclarecimento levado a termo pelo governo brasileiro nestes últimos dias em todos os continentes.”

Além de agradecer o líder chinês, Temer cita que que a parceria que os dois países mantêm “gerou muitos frutos e, com certeza, muitos ganhos ainda teremos com a sólida relação bilateral entre nossas nações”. Estamos plenamente confiantes que outros países seguirão o exemplo da China.

Neste sábado, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi confirmou que a China vai reabrir o mercado para as importações do produto brasileiro. “Trata-se de atestado categórico da solidez e qualidade do sistema sanitário brasileiro e uma vitória de nossa capacidade exportadora”, destaca Maggi, por meio de comunicado.

Continua após a publicidade

Na última semana, a China suspendeu temporariamente as importações de carne brasileira por precaução, em decorrência da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal (PF).

 

Continua após a publicidade

No último domingo (19), em um gesto político para recobrar confiança sobre a indústria brasileira após a deflagração Operação Carne Fraca, o presidente Michel Temer jantou em uma churrascaria de Brasília.

Estavam presentes os embaixadores da China e de Angola no Brasil, os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), Blairo Maggi (Agricultura), Marcos Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços) e representantes de outros 25 países.

Publicidade