Clique e assine a partir de 9,90/mês

China vai retomar importação de carne brasileira, afirma ministro

Ministro da Agricultura Blairo Maggi diz que o segundo maior comprador de carne do Brasil tem interesse em retomar importações do produto

Por Da redação - Atualizado em 25 mar 2017, 12h47 - Publicado em 25 mar 2017, 10h15

A China reabriu o mercado para as importações de carne brasileira, afirmou neste sábado o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Blairo Maggi. Decisão vem após intensa mobilização do governo para a retomada dos desembaraços aduaneiros no país.

Na última semana, a China suspendeu temporariamente as importações de carne brasileira por precaução, em decorrência da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal (PF).

“A liberação é um esforço gigante que foi feito aqui no Brasil com as explicações, de mostrar que as investigações estavam numa direção de investigar conduta de pessoas, comportamento de pessoas, desvio de conduta das pessoas”, disse Maggi.

Em sua conta no Twitter, o presidente Michel Temer agradeceu o líder chinês Xi Jinping pela reabertura das importações do produto brasileiro.

Continua após a publicidade

Segundo o ministro, apenas as unidades que o próprio Brasil suspendeu não poderão vender ao parceiro asiático. “Nós continuaremos mandando produtos, vendendo sem restrição, com a suspensão das plantas que nós mesmos decidimos aqui até que nós mostremos os nossos controles finais desse assunto com a força tarefa que estamos tendo nesse momento”, afirmou o ministro.

A China é hoje o segundo maior importador de carne brasileira do mundo, ficando atrás, apenas, de Hong Kong. Em 2016, de acordo com dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a China importou 736.576 toneladas de carne brasileira, totalizando 1,75 bilhão de dólares.

Não bastasse a suspensão temporária das importações, o país retirou o produto brasileiro das prateleiras de seus supermercados. A medida, que inclui carnes bovina e de frango, é sinal concreto de que o escândalo envolvendo a indústria processadora do Brasil está afetando os negócios em seu principal mercado de exportação.

A decisão foi tomada pela Sun Art Retail, maior rede de hipermercados do país, e pelos braços chineses das gigantes globais Walmart e Metro, dias após a China banir temporariamente as importações de carne brasileira.

Continua após a publicidade

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, se prepara para ir a China ainda esta semana para tentar reverter o impasse com os chineses.

(Com agência Reuters)

Publicidade