Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

NY sobe e Dow Jones fecha no maior nível em três meses

Por Da Redação
3 ago 2012, 17h59

Por Álvaro Campos

Nova York – As bolsas de Nova York fecharam esta sexta-feira em alta, após dados melhores do que o esperado sobre o mercado de trabalho nos EUA e notícias positivas na Europa. Com isso, os índices Dow Jones e S&P 500 chegaram ao maior nível de fechamento desde 3 de maio.

O Dow Jones subiu 217,29 pontos (1,69%), fechando em 13.096,17 pontos. Na semana, o índice teve ganho acumulado de 0,16%. Já o Nasdaq avançou 58,13 pontos (2,00%) hoje, fechando a 2.967,90 pontos. No acumulado da semana, a alta foi de 0,33%. E o S&P 500 registrou ganho de 25,99 pontos (1,90%), fechando a 1.390,99 pontos. Na semana o índice avançou 0,36%.

O relatório do governo norte-americano sobre o mercado de trabalho (payroll) mostrou que a economia do país criou 163 mil vagas em julho, bem acima da previsão dos analistas, de 95 mil. Mas, em compensação, a taxa de desemprego subiu para 8,3%, quando a estimativa era de que ela ficasse estável em 8,2%. Já o Instituto para Gestão da Oferta (ISM, na sigla em inglês) divulgou que seu índice de atividade do setor de serviços subiu para 52,6 em julho, de 52,1 em junho, contrariando as projeções de queda para 52,0.

Também colaboraram para o bom humor nos mercados declarações feitas pelo primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy. Em entrevista à imprensa, ele sugeriu que seu governo pode solicitar ajuda da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês). Apesar de não ter deixado claro se pretende ou não pedir ajuda, a mudança no tom de Rajoy foi suficiente para animar os investidores, já que ele vinha descartando a possibilidade de um socorro total para o país.

Continua após a publicidade

Ainda na Europa, o índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro avançou para 46,5 em julho, sustentado pelo aumento no PMI de serviços para 47,9, ambos acima das estimativas. Também houve alta no PMI de serviços da Alemanha, da França e até da Espanha, o que contrariou as previsões de queda.

No front corporativo, as ações da corretora Knight Capital fecharam em alta de 56,98%, em meio a relatos de que a companhia conseguiu uma linha de crédito para financiar suas operações no curto prazo, após um problema técnico na quarta-feira que afetou as ações negociadas na Bolsa de Nova York e lhe gerou um prejuízo de quase US$ 440 milhões. Os papéis do Facebook tiveram alta de 5,2%, se recuperando após terem fechado na quinta-feira em uma mínima recorde.

Entre as blue chips, as ações da Kraft Foods tiveram alta de 4,03% e a Procter & Gamble avançou 3,13%, após ambas divulgaram seus resultados do segundo trimestre, que superaram as estimativas dos analistas. As informações são da Dow Jones.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.