Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Inflação do aluguel acelera para 0,76% em janeiro

Alimentação e energia são os vilões do índice muito usado para reajustar contratos como o de aluguéis

Por Da Redação 29 jan 2015, 07h40

O que é?

O IGP-M é um índice de inflação utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel de imóveis.

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), usado para reajustar contratos de aluguel, acelerou para 0,76% em janeiro, acima do resultado de dezembro (alta de 0,62%), informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quinta-feira. O resultado ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters, cuja mediana apontava alta mensal de 0,63%. A alta do índice refletiu o forte avanço dos preços no varejo, pressionados principalmente por alimentação e eletricidade.

O Índice de Preços ao Consumidor, com peso de 30% no IGP-M, avançou 1,35% neste mês, contra 0,76% em dezembro. O destaque ficou para a alta de 1,66% do grupo Alimentação, bem maior do que em dezembro (0,85%). Somente o item hortaliças e legumes registrou avanço nos preços de 13,68% em janeiro, sobre 5,59% no mês anterior.

Já o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, registrou alta de 0,56% em janeiro, após avanço de 0,63% no mês anterior.

A FGV informou ainda que o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, subiu 0,70% em janeiro, contra alta de 0,25% em dezembro.

Continua após a publicidade

Leia mais:

Inflação do aluguel fecha 2014 em 3,69% – menor taxa em 5 anos

Mercado vê inflação mais distante da meta em 2015

Diante dos recentes anúncios de medidas fiscais pela nova equipe econômica, a pressão inflacionária não deve dar alívio em breve, com as expectativas já chegando a alta de 7% para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano.

O IGP-M é usado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel de imóveis.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)