Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Greve prejudica instalação e manutenção de internet e celular

Falta de combustível impede que técnicos façam instalações e manutenções; geradores de energia nas centrais também podem ser comprometidos

Por Da redação
Atualizado em 28 Maio 2018, 19h32 - Publicado em 28 Maio 2018, 18h02

As companhias prestadoras de serviço de telefonia e internet encaminharam um pedido formal à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) neste domingo (27), solicitando que o abastecimento da frota de veículos utilizados na manutenção das redes seja priorizado para “proteger a operação de infraestrutura crítica do setor”, informou o sindicato das empresas de telecomunicação (SindiTelebrasil).

Sem essa medida, as prestadoras, “que estão com seus estoques de combustível praticamente zerados” devido à greve dos caminhoneiros, segundo nota emitida pela entidade, não conseguirão realizar os serviços de manutenção e reparo e o acesso a internet, telefone e SMS poderá ser comprometido.

Também foi solicitada a escolta de caminhões-tanque até os reservatórios de abastecimento dos geradores usados nas centrais de telecomunicações, que são acionados em casos de falta de energia comercial.

“Isso poderá prejudicar não só o consumidor individual, mas principalmente órgãos com atividades essenciais, como hospitais, bombeiros, segurança pública, que poderão ter serviços de telefone, SMS e internet suspensos por eventuais falhas que não possam ser corrigidas, pela impossibilidade de deslocamento das equipes”, diz a nota.

Continua após a publicidade

Devido ao desabastecimento para a frota de veículos usados para manutenção, algumas prestadoras chegaram a alertar os clientes sobre a possibilidade de adiar instalações.

A Vivo emitiu uma mensagem pelo telefone 10315 afirmando que poderão ocorrer atrasos nas visitas técnicas e disse que entrará em contato com os clientes afetados para reagendar o atendimento. As visitas emergenciais, no entanto, estão sendo priorizadas na medida do possível, segundo o recado.

O SindiTelebrasil alertou principalmente para a dificuldade de manutenção no caso de falhas massivas, “que, quando ocorrem, atingem milhares ou até milhões de pessoas, interrompendo diversos serviços de telecomunicações”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.