Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Greve de caminhoneiro afeta distribuição de botijão de gás

Grevistas só estão permitindo transporte de GLP granel para abastecer serviços essenciais; botijões de 13 kg, 20 kg e 45 kg estão sendo barrados

Por Da redação
Atualizado em 28 Maio 2018, 20h04 - Publicado em 28 Maio 2018, 18h19

As distribuidoras de gás de cozinha já estão começando a sentir os efeitos da greve dos caminhoneiros. Os botijões de 13 kg, 20 kg e 45 kg, que são comumente utilizados em residências e em estabelecimentos comerciais, estão sendo impedidos pelos grevistas de serem transportados às revendedoras, de acordo com o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), o que pode afetar o fornecimento aos consumidores.

Apenas caminhões com Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) granel, que é transportado sem embalagens individuais, estão sendo autorizados a sair das bases para abastecer serviços essenciais, como hospitais, creches, escolas e presídios.

O Sindigás afirma que algumas praças ainda possuem um estoque mínimo de GLP e que, por ele ser armazenável, a maioria dos brasileiros ainda tem, em média, até 22 dias para usar o atual botijão, considerando que ele foi comprado antes da última segunda-feira, quando a distribuição começou a ser afetada com o início da greve.

Continua após a publicidade

O sindicato afirma que os botijões, cheios ou vazios, não estão sendo autorizados pelos bloqueios nem a sair nem a entrar nas distribuidoras. “O setor de GLP trabalha com uma logística reversa, na qual é imprescindível o retorno dos botijões vazios às bases para serem engarrafados”, diz a entidade, em nota.

“O Sindigás reitera que há gás nas bases. O problema no abastecimento deve-se às dificuldades de escoamento do produto pelas rodovias do país. É necessário que grevistas e as autoridades que atuam nesse momento de crise, como Polícia Rodoviária Federal, ANP, Exército, entre outros atores, compreendam que o GLP é um produto essencial para o bem-estar da população e que permitam o trânsito das carretas a granel e dos caminhões com os botijões, sejam vazios ou cheios.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.