Clique e assine a partir de 9,90/mês

Governo corta 60% das vagas do Pronatec por ajuste fiscal

Segundo o ministro Renato Janine Ribeiro, menor número de vagas em 2015 se deve à redução de 9,4 bilhões de reais no orçamento do Ministério da Educação

Por Da Redação - 10 jun 2015, 21h41

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) oferecerá mais de 1 milhão de vagas neste ano, queda de 60% em relação às 2,5 milhões de vagas disponibilizadas em 2014, disse nesta quarta-feira o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, segundo informações da Agência Brasil.

A redução reflete o impacto do corte de 69,9 bilhões de reais no Orçamento de 2015. Na pasta da Educação, houve redução de 9,4 bilhões de reais no orçamento.

Na campanha presidencial, Dilma anunciou a meta de mais 12 milhões de vagas no programa até o fim do segundo mandato. De acordo com o ministro, no entanto, trata-se de um ano atípico, depois de 12 anos de investimentos crescentes na educação. “Passamos de 18 bilhões de reais de orçamento do MEC em 2002 para bem mais de 100 bilhões de reais agora. Uma vez superada essa situação e restaurada a saúde da economia, teremos condições de continuar nessa trajetória (de crescimento)”, afirmou Janine.

LEIA TAMBÉM:

Continua após a publicidade

Ministro confirma segunda edição do Fies para este ano

No fim de maio, o MEC informou que iria reduzir o número de vagas em programas educacionais como o Pronatec e o Ciência Sem Fronteiras.

O corte orçamentário também impactou o início das aulas dos cursos, que estava previsto para 17 de junho, mas será apenas em 27 de julho. Essa é a segunda vez que o cronograma passa por alterações neste ano. O cronograma inicial previa para o dia 7 de maio o início dos cursos.

Segundo o MEC, a alteração “se justifica pelos procedimentos decorrentes da aprovação do orçamento federal e, tendo em vista a solicitação de várias instituições de ensino, o calendário foi ajustado de maneira a compatibilizá-lo com o calendário acadêmico das instituições”.

Continua após a publicidade

(Com Reuters)

Publicidade