Clique e assine a partir de 9,90/mês

Dólar recua para R$ 4,12 e fecha no menor patamar em mais de um mês

Moda americana caiu 0,7%, influenciada por decisões sobre a política monetária no Brasil e nos EUA e pela expectativa de entrada de recursos no país

Por da Redação - 11 dez 2019, 20h55

dólar comercial fechou no menor patamar em mais de um mês, sendo negociado a 4,12 reais para a venda, com recuo de 0,7%, nesta quarta-feira, 11. É o menor patamar para um fechamento desde 7 de novembro, quando chegou ao nível de 4,09 reais. A queda da moeda americana em relação ao real é reflexo dos dados domésticos positivos que foram divulgados recentemente, acerca da recuperação das atividades econômicas no país, com a consequente expectativa de entrada de fluxos, elevando o sentimento do mercado em dia de decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos.

Segundo Italo Abucater, gerente de câmbio da Tullett Prebon, o movimento desta quarta-feira é fruto do otimismo em relação à entrada de recursos. “Tivemos um ano difícil de fluxo, mas agora começaram a aparecer algumas perspectivas de entrada, como o IPO da XP. São fluxos recentes que fizeram com que melhorasse o cenário no Brasil”, afirmou Abucater.

Além disso, a plataforma de serviços financeiros XP Investimentos precificou na terça-feira a maior oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de uma empresa brasileira este ano, a 27 dólares por ação na Nasdaq, acima da faixa de preço inicial, e levantou 2,25 bilhões de dólares.

Além da perspectiva de ingressos, estava no radar dos investidores as decisões de política monetária do Federal Reserve, que é o banco central americano, e do Banco Central do Brasil, que foram divulgadas nesta quarta-feira. O Fed manteve inalterada sua taxa básica de juros em um nível entre 1,5% e 1,75% e o Copom cortou a Selic para uma nova mínima histórica de 4,5%.

Continua após a publicidade

A forte queda na taxa básica de juros brasileira desde o fim de 2016 tem sido um importante fator para a depreciação recente do real. Em outubro de 2016, quando a Selic estava em 14,25% ao ano, o BC começou um ciclo de cortes que, intercalado com pausas, trouxe o juro básico à mínima histórica de 4,5% em dezembro de 2019. No período, o real acumula depreciação de 22%, saindo de 3,25 por dólar para os atuais patamares em torno de 4,15 por dólar.

(Com Reuters)

Publicidade