Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Correção: Dexia tem prejuízo no 1º semestre

Por Da Redação
3 ago 2012, 13h24

Por Patrícia Braga

Bruxelas – Anota enviada anteriormente tinha uma incorreção: o banco Dexia teve prejuízo líquido e não lucro líquido de 1,2 bilhão de euros no primeiro semestre de 2012. Segue o texto corrigido:

O banco franco-belga Dexia teve prejuízo de 1,2 bilhão de euros no primeiro semestre de 2012, comparado com a perda de 3,9 bilhões de euros registrada ano passado. Apesar de ter reduzido suas perdas desde o primeiro semestre de 2011, o Dexia disse que se esforçou nos primeiros seis meses deste ano para lidar com a deterioração nas condições de mercado, particularmente com “as pressões persistentes vindas da crise de dívida soberana dentro da zona do euro”.

Os negócios com as ações do Dexia foram temporariamente suspensos na manhã desta sexta-feira por determinação da autoridade do mercado de ações da Bélgica após o banco ter publicado seus resultados antes do planejado. Segundo a autoridade belga, a suspensão dos negócios com ações do Dexia teve por objetivo “dar tempo ao mercado para digerir” os resultados do banco no segundo trimestre.

Continua após a publicidade

A exposição do Dexia aos países atingidos pela crise de dívida na zona do euro, como Itália, Grécia, Portugal, Espanha e Irlanda, foi de 38,96 bilhões de euros no primeiro semestre do ano, incluindo dívida soberana. O banco, que foi resgatado pela segunda vez em outubro do ano passado, disse que as negociações entre os reguladores da União Europeia e os países que ajudaram em seu resgate – Bélgica, França e Luxemburgo – estão em andamento.

A Comissão Europeia tem acompanhado de perto os planos de reestruturação do Dexia e salientou preocupações específicas com a França sobre como resolver as operações municipais de empréstimos do banco no país. O Dexia respondia por quase 40% do mercado de empréstimos municipais franceses antes de seu quase colapso no final deste ano.

No mês passado, a Comissão aprovou provisoriamente um aumento nas garantias do Estado para 55 bilhões de euros até 30 de setembro, quando o banco deve apresentar seus planos para o futuro. As informações são da Dow Jones.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.