Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Copom reduz Selic para 13,75%, segunda queda consecutiva

Com o corte de 0,25 ponto percentual, a taxa básica de juros volta ao mesmo patamar de junho de 2015

O Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a Selic em 0,25 ponto percentual, para 13,75%, nesta quarta-feira. Esta é a segunda redução consecutiva na taxa básica de juros. Com a mudança, a Selic iguala o patamar de junho de 2015. A decisão foi tomada por unanimidade.

Entre os itens que levaram à decisão, o Banco Central citou a redução nas projeções da atividade econômica para 2016 e 2017, também como a redução dos níveis de inflação. “A inflação recente mostrou-se mais favorável que o esperado, em parte em decorrência de quedas de preços de alimentos, mas também com sinais de desinflação mais difundida”, diz a nota.

A inflação medida pelo IPCA acumula alta de 5,78% no ano até outubro, segundo o IBGE. A meta definida pelo governo para este ano é de 4,5%, e com a margem tolerância pode chegar a 6,5%.

De acordo com o último Boletim Focus, divulgado nesta segunda feira, os analistas de mercado estimam que a economia  terá retração de 3,49%, e a alta será de 0,98% em 2017. Esta é a sexta semana seguida de baixa nas estimativas para o PIB do ano que vem, e a oitava semana seguida de baixa para 2016. Na semana anterior, os números eram de 1% e -3,40%, respectivamente.

Em relação ao cenário externo, há preocupação com os rumos da economia americana. A última ata do Fed (Banco Central americano) sinaliza que uma trajetória de aumento dos juros no país, atualmente entre 0,25% e 0,5%, pode começar ainda neste ano. “Há elevada probabilidade de retomada do processo de normalização das condições monetárias nos EUA no curto prazo e incertezas quanto ao rumo de sua política econômica”

A Selic é a taxa usada como referência para definir os juros pagos em diversos contratos do sistema financeiro, de empréstimos para a compra de imóveis a cartões de crédito.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Jorge Iório

    Os esquerdopatas vao dizer quea queda de juros e pequena, que deveria ser mais etc e tal. Quando estiveram no poder, os juros foram nas nuvens. Por que nao baixaram?

    Curtir

  2. Valdeci Pinheiro de Lima

    O problema maior dos jutos não é exatamente a SELIC. Afinal se for 15%, 13%, 10% pouco afeta o consumidor. Quanto o brasileiro paga 453% ao ano no cartão de credito, quando paga mais de 200% no empréstimo pessoal, ai sim esta o problema. Qual a composição deste 453% cobrados? Seguramente ai os bancos pecam na avidez por lucros.

    Curtir