Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Comércio vê alta de vendas à vista às vésperas do Natal

Impulso de última hora ainda é insuficiente para sinalizar grandes taxas de crescimento de faturamento

Por Da Redação
24 dez 2011, 08h35

Os presentes mais procurados para o Natal foram roupas, brinquedos, perfumes e celulares

Às vésperas do Natal, a venda à vista teve forte reação. Mas esse impulso de última hora ainda é insuficiente para sinalizar grandes taxas de crescimento de faturamento. É que o pagamento à vista normalmente é usado para compras de menor valor.

Duas pesquisas divulgadas nesta sexta, uma da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e outra da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP), indicam que o acréscimo de vendas deve ser moderado, entre 1,8% e 3%, em relação ao melhor Natal da década, que foi o de 2010.

Até quinta-feira, as consultas para compras com cheque aumentaram 1,6% em relação ao mesmo período de 2010, segundo a ACSP. O resultado representa uma aceleração, já que na primeira quinzena do mês as consultas para venda à vista estavam estagnadas e até quarta-feira tinham crescido apenas 0,3% na mesma base de comparação.

No crediário, a reação foi menos expressiva. Até quinta-feira, a elevação no número de consultas neste mês para aprovação de financiamentos foi 2% maior ante dezembro de 2010. No fechamento da quinzena, a taxa de crescimento era de 1,9%. “A venda a prazo continua fraca”, observa o economista da ACSP, Emílio Alfieri.

Continua após a publicidade

Até quinta-feira, na média das consultas para vendas à vista e financiadas, houve um acréscimo de 1,8% em relação a dezembro de 2010, abaixo do projetado pela associação comercial, que é de 2%, e um pouco mais da metade do esperado pelos 156 executivos de lojas de varejo na Região Metropolitana de São Paulo, consultados esta semana pela Fecomércio-SP.

De acordo com a pesquisa da Fecomércio-SP, o faturamento deve crescer cerca de 3% neste Natal, comparado com o do ano passado. Fábio Pina, assessor econômico da entidade, pondera que os lojistas geralmente são conservadores nas projeções. De toda forma, esse resultado é inferior à expectativa de alta da receita traçada pela Fecomércio, que varia entre 3% e 4%.

Os presentes mais procurados para o Natal foram roupas, brinquedos, perfumes e celulares. De acordo com a Fecomercio-SP, 50,3% dos paulistanos vão comprar peças de vestuário e a metade deles (25,4%) espera receber o mesmo tipo de presente.

(Com Agência Estado)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.