Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Comércio tem pior semestre de vendas em 12 anos

Nos primeiros seis meses de 2015, volume comercializado no varejo caiu 2,2% ante o mesmo período do ano passado; em junho, comércio registrou a quinta queda consecutiva

Por Da Redação
12 ago 2015, 09h48

Motor do crescimento econômico nos últimos anos, o consumo no país continua caindo. Pelo quinto mês seguido, o comércio registrou queda no volume de vendas, desta vez de 0,4% em junho ante o mês anterior. Em relação a junho do ano passado, o varejo sofreu um recuo ainda maior, de 2,7%. Mas o desempenho pífio do setor fica mais evidente no resultado do primeiro semestre de 2015, que computou baixa de 2,2%. É a primeira vez desde o segundo semestre de 2003 (-1,9%) que o indicador fica no vermelho nessa base de comparação.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira na Pesquisa Mensal do Comércio elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No segundo trimestre de 2015, a quantidade de vendas no varejo caiu 3,5% em relação ao mesmo período do último ano. Com o resultado, o instituto assinala que há uma aceleração no ritmo de queda do setor – no primeiro trimestre, ele havia recuado 0,8%.

Já o varejo ampliado que inclui venda de veículos e materiais de construção registrou uma queda mais acentuada, de 0,8%, em junho ante o mês anterior. Na comparação com junho do ano passado, o recuo é de 3,5%. E no acumulado do ano, de 6,4%.

Na passagem de maio para junho, sete das dez atividades pesquisadas tiveram queda, com destaque para veículos e motos, partes e peças (-2,8%); equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-1,5%); e móveis e eletrodomésticos (-1,2%).

Continua após a publicidade

O desaquecimento do comércio neste ano tem relação direta com a piora no quadro da economia brasileira, marcada pela inflação, juros e o dólar em patamares elevados. Diante desse cenário, o brasileiro fica cada vez menos estimulado a consumir.

Em 2015, os representantes do setor têm reclamado principalmente do volume de vendas em datas comemorativas, como Dia dos Pais, Dia das Mães, Páscoa e Dia dos Namorados, que ficou bem abaixo do alcançado nos últimos anos.

Leia também:

Comércio tem o Dia dos Pais mais fraco em seis anos

Continua após a publicidade

Varejo debate com governo jornada mais flexível contra crise

Vendas ruins aumentam o número de demitidos no varejo

(Da redação)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.