Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasileiro é único motorista cinco estrelas da Uber na América Latina

Teixeira equilibra-se entre dois empregos: começa às 11h40 como vendedor de autopeças e só termina meia-noite com o último passageiro da madrugada

“Minha meta era ser o melhor motorista de Uberlândia, não sabia que chegaria a ser um dos melhores do mundo”, contou Erick Leandro Teixeira, 41, único motorista brasileiro da Uber com pontuação máxima dentro do aplicativo. Em todo o mundo, apenas quatro motoristas alcançaram a nota de cinco estrelas. Segundo a Uber, são considerados motoristas cinco estrelas apenas quem mantém essa média de avaliação por mais de 1.000 viagens. Os outros três motoristas dirigem nos Estados Unidos, sendo que um deles dirige um Mercedes.

Teixeira mora e trabalha na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, com pouco mais de 604.000 habitantes, segundo os dados mais recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Ele divide-se entre dois empregos: o primeiro turno começa às 11h40 como vendedor de autopeças e só termina à meia-noite, quando faz a última corrida do dia.

“A gente sacrifica um pouco o convívio familiar ao manter duas atividades. Mas sempre que possível, reservo um dia para passar com minha família”, disse Teixeira.

De segunda a quinta-feira, ele começa a dirigir a partir das 18h. De sexta-feira para sábado, ele trabalha até as 2h da madrugada. No domingo, ele pega no volante às 14h e encerra somente às 21h. “Nos dias em que estou cansado, encosto o carro e trabalho só no dia seguinte”. Com esse esforço, o motorista afirma faturar 800 reais por semana.

Ele começou a trabalhar como motorista da Uber em março de 2017. “Na época, eu queria complementar a minha renda. Meu orçamento só era suficiente para me manter. Hoje, dirijo por prazer, o ganho é consequência”, afirmou. “Já pensei em trabalhar apenas como motorista, mas consigo conciliar os dois serviços. Então porque mexer em time que está ganhando?”.

O trabalho de vendedor também caminha bem. “Conforme fui progredindo nas vendas, meu salário foi aumentando”. Manter o cargo como vendedor também garante outros benefícios. como a carteira de trabalho assinada e estabilidade, segundo ele.

O motorista brasileiro conseguiu a pontuação máxima no aplicativo após 10 meses na plataforma. “Sempre prezei pela boa experiência do passageiro. Hoje, para ser motorista da Uber não basta dirigir, você precisa ter cordialidade e desenvolver um bom serviço”, explicou Teixeira. “Antes de começar a dirigir, me preparei. Fui direto na fonte, procurei canais no YouTube de motoristas da Uber para pegar orientações. Também usei o aplicativo como passageiro para identificar o que faltava e observar o que poderia oferecer, atitudes que deveria ter”.

Teixeira diz que ainda assiste a alguns vídeos do YouTube. “Nunca digo que não preciso aprender mais, continuo me atualizando e buscando informações”.

Para ter uma boa nota, o motorista diz que é preciso cuidar da higiene do carro e do vestuário antes de cada turno de trabalho. “A partir das primeiras corridas, você começa a ver as necessidades do passageiro. Fui fazendo mudanças, adaptei sacolinhas de lixo para os passageiros, assim eles podem descartar papéis de bala, por exemplo. Parece um detalhe pequeno, mas várias pessoas já me elogiaram”.

Dentro do Ônix que dirige, Teixeira também disponibiliza aos passageiros um carregador de celular e internet. O passageiro também tem a possibilidade de escolher a música que quer escutar dentro do carro. “Muitas vezes, o passageiro já tem uma playlist e só se conecta por bluetooth“.

Desde o ano passado, Teixeira já completou 3.781 viagens. Ele conta que ainda não terminou de pagar o carro que dirige, mas que consegue custear todos os gastos do veículo dirigindo para a Uber. “Gosto de trabalhar, estou sempre conhecendo pessoas, aprendendo com opiniões diferentes. É enriquecedor”, conta. “Às vezes passamos mais de 30 minutos com o passageiro, escuto histórias pessoais, felizes e tristes. Dependendo da forma que o passageiro entra no veículo, você sabe se ele quer se comunicar ou não”.

Teixeira diz que evita expressar a própria opinião para o passageiro. “Eu sou mais ouvinte. Garanto que não sou mais o mesmo motorista do primeiro dia. Você aprende muito. Quando alguém entra no carro e começa a falar, você começa a enxergar o mundo de outra forma”.

“Não é pegar a pessoa do ponto X até o ponto Y. Seu nome está marcado naquela pessoa”, conta ele. “Como motorista, vejo que a minha cidade é maior do que eu imaginava”.

Em maio, Teixeira ficou uma semana sem trabalhar em razão da greve dos caminhoneiros. “Acabou o combustível na minha cidade, nenhum posto estava abastecendo. Todos os motoristas de Uberlândia foram afetados”.

Motorista Cinco estrelas

A Uber lançou em abril um game para ajudar os motoristas do aplicativo a melhorar a pontuação na plataforma. O Desafio Cinco Estrelas é ambientado na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, onde mora Teixeira, motorista com a pontuação máxima do aplicativo.

O jogo interativo tem como foco os motoristas novatos e é dividido em três módulos para que os condutores aprendam a lidar com as situações mais comuns do dia a dia, e dessa forma reduzir o stress e ansiedade das primeiras viagens.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Alexandre Jardim

    Vem pra o RJ cidade de passageiros bem educados, pra ver qual será a nota dele. Em UBERlândia é mole.

    Curtir

  2. Carlos Bacco

    Tinha que ser de UBER lândia né? Sacanagem.

    Curtir

  3. Parabéns! Exemplo de amor ao que se faz, não importa o quê.

    Curtir