Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil e México empatam — também em competitividade

Segundo o indicador do Fórum Econômico Mundial, os dois países latino-americanos marcam 61% em competitividade, valor considerado baixo na comparação com nações desenvolvidas

Não foi apenas o placar do jogo entre Brasil e México que deu empate na tarde desta terça-feira – a partida começou às 16 horas em Fortaleza. No quesito competitividade, o resultado também está empatado. Ambos marcam 61% no índice calculado pelo Fórum Econômico Mundial, número bem abaixo das nações desenvolvidas. No topo da lista estão outras nações que também jogam no Mundial: Suíça (81%), Alemanha e Estados Unidos (79%), e Holanda (77%).

O departamento de análise do Fórum também divulgou outros indicadores em que Brasil e México competem. Enquanto o país leva a melhor em igualdade de gêneros (70% ante 69% do México), perde para o adversário em abertura comercial – o indicador mexicano aponta 59%, enquanto no Brasil está em 54%.

Se no futebol a história mostra grande vantagem do Brasil em relação ao vizinho latino-americano, com 22 vitórias ante 10, o mesmo não pode ser dito dos indicadores econômicos. O país vem mantendo a inflação e os juros a níveis historicamente mínimos e implementando reformas importantes, como no setor de energia e educação. Como resultado, tem atraído investimento externo e se tornou o novo ‘queridinho’ da América Latina, tomando o lugar do Brasil.

Apesar de a economia mexicana ter crescido menos que a brasileira no ano passado (1,1% ante 2,5%), as perspectivas para 2014 são melhores: de 3%, enquanto no caso do Brasil, se mantém em 2,5%. Como resultado, a nota de crédito do país foi elevada, enquanto a do Brasil foi rebaixada pela Standard and Poor’s.

Leia também:

Congresso mexicano aprova reforma fiscal do governo