Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Black Friday: clientes priorizam frete grátis e retirar na loja

Apesar de a Black Friday ser mais forte no comércio eletrônico, as lojas físicas têm aderindo cada vez mais às promoções do período

Por Da redação 3 nov 2017, 13h20

A Black Friday deste ano vai cair no dia 24 de novembro. O tipo de pesquisa que o consumidor realiza na internet sobre a data dá algumas pistas sobre como será seu comportamento durante a liquidação.

Uma das buscas que mais cresce, segundo o Google, é justamente sobre qual vai ser o dia da Black Friday. De janeiro a setembro, as pesquisas relacionadas à data cresceram 52% em relação ao mesmo período de 2016.

As buscas também permitem identificar as áreas de interesse do consumidor. Entre as categorias que mais crescem estão as de smartphones, moda e videogames.

Com a proximidade da promoção, o Google identificou novas pesquisas relacionadas ao desejo de compra na Black Friday, como planos de operadora de telefonia, alimentos, bebidas e aparelhos de TV. “Talvez já pensando na Copa de 2018, muita gente começa a planejar a troca da TV”, afirma Victor Brotto, líder de inteligência de mercado do Google Brasil.

Segundo ele, o consumidor também modifica a pesquisa conforme vai tomando sua decisão de compra. “Primeiro faz uma busca genérica por smartphones, por exemplo. Depois vai afunilando a pesquisa, compara o desempenho do aparelho com o de outras marcas. Em seguida, pesquisa preços e lojas.”

Continua após a publicidade

Apesar de a Black Friday ser mais forte no comércio eletrônico, Brotto diz que as lojas físicas têm aderindo cada vez mais às promoções do período. A participação dos dois formatos de comércio atende ao desejo do consumidor. Pesquisa encomendada pelo Google mostra que entre os fatores que mais pesam na decisão de compra está o custo do frete.

“A pesquisa também mostrou um crescimento da busca pelo termo ‘retirar na loja’, sinalizando que o consumidor pode comprar pela internet, mas quer receber logo e sem pagar frete”, diz Brotto

O fator mais importante para o consumidor na hora de comprar na Black Friday ainda é o preço, seguido pela confiança na loja e na marca.

Preparativos

O comércio precisa se preparar com antecedência para a Black Friday, negociando preços com fornecedores e analisando como foi a data no ano anterior.

Nas primeiras edições da Black Friday era comum ouvir relatos de sites de grandes varejistas que saíram do ar por não suportar a demanda de acessos.

“As empresas começaram a se preparar melhor, investir em tecnologia e novas estratégias. Algumas antecipam ou pulverizam a promoção ao longo da semana, outras incentivam as compras pelo celular com oferta de frete grátis, por exemplo”, diz Brotto.

Agora, segundo ele, é o período de as empresas comunicarem seus clientes que participarão da Black Friday.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)