Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Aviação regional é prioridade absoluta, diz novo ministro

Eliseu Padilha, nomeado chefe da Secretaria de Aviação Civil, terá como principal missão a construção e ampliação de 270 aeroportos regionais no país

Por Da Redação
6 jan 2015, 10h35

Nomeado chefe da Secretaria de Aviação Civil (SAC) no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff (PT), o deputado federal Eliseu Padilha (PMDB-RS) recebeu como principal missão avançar no desenvolvimento da aviação regional no país. “Nós vamos ter como prioridade absoluta a aviação regional. O programa de desenvolvimento regional prevê que serão ampliados, reformados ou construídos 270 aeroportos regionais”, afirmou. De acordo com o ministro, o objetivo é interiorizar o desenvolvimento e propiciar paralelamente a exploração turística dos recursos naturais do país. “Acabamos não tendo um aporte turístico por falta de interiorização logística do transporte aéreo”, acrescentou.

O programa de aviação regional foi inserido em Medida Provisória encaminhada ao Congresso pela presidente Dilma no em julho de 2014. A matéria, entretanto, não foi votada dentro do prazo estabelecido e perdeu validade no fim do ano passado. Outro texto deverá ser enviado para novas discussões dos parlamentares. Entre os objetivos do programa está o de integrar comunidades isoladas à rede nacional de aviação civil, para facilitar a mobilidade de cidadãos e o transporte de bens fundamentais, como alimentos e medicamentos.

Leia mais:

Subsídios para aviação regional correm risco de caducar

Governo e parlamentares chegam a acordo sobre aviação regional

Continua após a publicidade

Azul ameaça cancelar encomendas da Embraer

A previsão é de que os recursos dos projetos, que devem somar 7,3 bilhões de reais, saiam do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC), criado para fomentar o setor de aviação civil. “Essa é a grande vantagem desse programa. Ele tem fonte própria de financiamento”, afirmou Padilha. Segundo o novo ministro, também está na lista de prioridades a conclusão das obras que estão em execução pela Infraero. “Mais adiante, vamos pensar em novas concessões”, disse.

Padilha, ligado ao vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, estava cotado inicialmente para assumir a pasta do Turismo, mas na última hora foi indicado para a SAC. O peemedebista, que comandou o Ministério dos Transportes no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), assumiu o cargo na SAC na segunda-feira, com a saída de Moreira Franco.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.