Clique e assine com até 92% de desconto

Vencedor do Oscar com ‘Cinema Paradiso’ é acusado de assédio

Atriz afirma que diretor italiano Giuseppe Tornatore a atacou sexualmente há 20 anos após a saída de entrevista para a revista Vanity Fair; cineasta nega

Por AFP 4 nov 2017, 14h26

O diretor italiano Giuseppe Tornatore, que em 1990 venceu o Oscar de filme estrangeiro por Cinema Paradiso, desmentiu formalmente neste sábado ter importunado há 20 anos uma atriz em seu escritório. O cineasta foi acusado pela atriz de televisão Miriana Trevisan, de 44 anos, de ter tentado beijá-la e acariciá-la há 20 anos, em uma entrevista à revista Vanity Fair.

“Fui ao escritório de Giuseppe Tornatore. Meu agente havia organizado a reunião (…)”, contou. “Ao fim do encontro, Tornatore me acompanhou até a porta, me empurrou contra a parede, começou a beijar meu pescoço e as orelhas, suas mãos nos meus seios”, disse Trevisan.

A atriz afirmou que conseguiu escapar e que, provavelmente, o diretor “não se lembrava” do ocorrido. Tornatore, de 61 anos, disse ao jornal La Repubblica  realmente não lembrar de tal cena: “Não encostei um dedo nela. Lembro de um encontro cordial e rejeito estas acusações”, completou – ele cogita apresentar uma queixa formal contra a atriz.

Cenas do filme Cinema Paradiso
Cena do filme ‘Cinema Paradiso’, que deu o Oscar ao cineasta italiano Giuseppe Tornatore Foto/Divulgação

O suposto caso foi revelado no momento em que cresce a lista de figuras importantes de Hollywood e de outros lugares do mundo, incluindo políticos, acusados de agressão sexual ou estupro, após o escândalo inicial que envolveu o produtor Harvey Weinstein.

Continua após a publicidade
Publicidade