Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

IMPERDÍVEL – ‘Jason Bourne’ retorna com ação em ótima forma

Quinto episódio da franquia mais uma vez coloca os filmes de ação em um nível acima da simples pancadaria

Por Da redação 30 jul 2016, 08h20

Após três bons filmes da franquia Bourne, Matt Damon e o diretor Paul Greengrass retomam a parceria de sucesso no quinto longa, Jason Bourne, em cartaz desde quinta-feira. A boa química entre os dois é visível na produção, um dos raros bons exemplares do gênero de ação.  Na sequência inicial, Bourne (Damon) reaparece, quase dez anos mais velho, vivendo na clandestinidade. Enquanto isso, sua ex-colega de ação Nicky Parsons (Julia Stiles) invade o sistema de computadores da CIA e descobre mais informações sobre a Operação Treadstone, aquela que o transformou no sanguinário Jason Bourne.

Nicky voa para a Grécia, onde encontra Bourne em meio a um dos violentos protestos que tomaram Atenas nos últimos anos, com a crise econômica que eclodiu e fragilizou o país. Daí, em diante, o filme é uma grande caçada, que passará por diversos países – Alemanha, Inglaterra – até desembocar em Las Vegas, onde acontece uma convenção usada pela CIA para recrutar especialistas em computação.

LEIA TAMBÉM:
Matt Damon e Greengrass consolidam a ‘supremacia’ Bourne
O eletrizante retorno de ‘Jason Bourne’

A franquia ganha também novos tons tecnológicos. Os elementos da atualidade são representados pela conectividade que é capaz de colocar todos sob vigilância – e também permite a hackers profissionais entrar em sistemas para destravar qualquer porta. Eletrizante, Jason Bourne consegue, em curtos espaços de tempo, fazer o espectador dar pulos de emoção e, em seguida, deixá-lo colado, tenso, à cadeira. Uma boa maneira de apagar o quarto longa da série, o péssimo O Legado Bourne estrelado por Jeremy Renner.

Continua após a publicidade
Publicidade