Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Garçom pede R$ 30 mil a Fiuk em processo por dano moral

Rapaz afirma que foi acusado pelo ator de ter furtado seu celular, em 2011, em um hotel do Rio de Janeiro

Por Estadão Conteúdo 2 ago 2018, 20h32

Um garçom está pedindo 30.000 reais de indenização por danos morais a Fiuk. Ele abriu o processo após o ator acusá-lo de ter furtado seu celular. Segundo dados do processo, o episódio ocorreu em 30 de outubro de 2011, quando Fiuk estava hospedado em um hotel Sheraton no Rio de Janeiro e pediu que o funcionário esquentasse sobras de uma refeição e retirasse algumas louças sujas de seu quarto, o que foi feito.

Horas depois, diz a ação, Fiuk acusou o garçom de ter furtado um iPhone de seu quarto, utilizando “palavras de baixo calão extremamente ofensivas”. Na sequência, a Polícia Militar foi acionada e houve revista do armário e da mochila do funcionário, sem que o aparelho fosse encontrado. Na sequência, Fiuk não teria pedido desculpas ao funcionário, dando às costas à situação e retornando a seu quarto.

  • Por isso, o garçom apresentou uma queixa crime por calúnia contra o ator. Alegou também que passou a ser “preterido pelo hotel” em razão da acusação.

    O processo corre desde junho de 2014, mas só foi retomado recentemente, em julho de 2018.

    A assessoria de imprensa de Fiuk disse que ainda não vai se pronunciar sobre o assunto.

    Continua após a publicidade
    Publicidade