Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Triste ironia: liberal, Alec Baldwin sempre foi contra venda de armas

Ator responsável pelo disparo acidental que matou cinegrafista durante gravação do filme 'Rust' defende controle na venda de armas nos EUA

Por Redação Atualizado em 22 out 2021, 18h01 - Publicado em 22 out 2021, 16h07

Há uma triste ironia no acidente que tirou a vida da diretora de fotografia Halyna Hutchins, de 42 anos, durante as gravações do filme Rust: o ator Alec Baldwin, responsável pelo disparo acidental, é abertamente contra a comercialização desenfreada de armas nos Estados Unidos e já se envolveu em discussões públicas com membros do NRA – a influente associação armamentista americana.

Em 2018, Baldwin integrou uma iniciativa chamada NoRA, que reivindicava a diminuição da influência do NRA na política dos Estados Unidos. A iniciativa, que se seguiu ao tiroteio de Parkland, onde dezessete pessoas foram mortas, reuniu cerca de 130 celebridades que enviaram uma carta aberta ao vice-presidente executivo da NRA, Wayne LaPierre, denunciando a influência política da organização e prometendo intensificar a pressão por um maior controle de armas. Reproduzida pelo The Guardian, a carta que tem Baldwin entre os signatários, acusa a NRA de lutar contra “todas as medidas básicas de reforma das armas que poderiam ter salvado vidas” e promete potencializar os esforços contra a organização com manifestações, boicotes e registro de eleitores.

No mesmo ano, Baldwin se envolveu em uma outra discussão pública com Dana Loesch, então porta-voz do NRA. Na ocasião, o perfil da organização postou uma série de tuítes criticando figuras públicas que “usam sua liberdade de expressão para minimizar o que a bandeira americana representa.” Baldwin então, usou o Twitter para se dirigir diretamente a Loesch. “Vejo que @DLoesch quer ‘retomar a verdade’ e não se importa com quantos cadáveres terá que pisar nessa jornada. A Segunda Emenda não é um cartão de crédito moral para comprar todas as armas que você deseja. Essa lei precisa ser repensada”, declarou ele

Após a notícia do disparo acidental de Baldwin, Loesch se pronunciou sobre o caso. “Depois de todas as merdas loucas que Alec Baldwin disse para mim e sobre mim, vou ter mais elegância que ele agora e deixar por isso mesmo”, tuitou. Em um texto publicado pouco depois, porém, ela diz que Baldwin era uma das “pessoas ridículas” da esquerda cujo objetivo era atingir os “favoráveis à Segunda Emenda” em vez de “salvar as pessoas de perderem suas vidas nas mãos de criminosos.” A política ainda disse que, caso Baldwin fosse um apoiador da Segunda Emenda, as manchetes sobre o caso seriam piores.

Halyna Hutchins, de 42 anos, morreu após Baldwin disparar acidentalmente uma arma cenográfica no set do filme Rust. O tiro também atingiu o diretor do filme, Joel Rust, de 48, que foi levado ao hospital, mas já teve alta. Segundo a polícia, o disparo ocorreu durante as filmagens de uma cena, mas não sabe se era durante um ensaio ou gravação. As autoridades agora investigam como uma munição real foi utilizada. Baldwin está colaborando com a investigação.

Continua após a publicidade

Publicidade