Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

VEJA Recomenda Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Coluna
Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA
Continua após publicidade

Maria João Pires: quatro chances de se encantar com a virtuose do piano

A concertista portuguesa, cada vez menos presente nas salas de concerto, faz uma minitemporada pelas capitais brasileiras tocando Beethoven e Chopin

Por Sérgio Martins Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 8 out 2019, 16h52 - Publicado em 8 out 2019, 15h42

São cada vez mais raras as performances de Maria João Pires. A pianista portuguesa de 75 anos não disfarça que tem se cansado das turnês e do desconforto de estar no palco. Chegou, inclusive, a anunciar sua aposentadoria – mas já abandonou essa ideia. “Nunca tive um bom relacionamento com o piano”, disse numa entrevista. Qualquer chance de apreciar ao vivo seu toque delicado, portanto, deve ser considerado um presente dos deuses. E eles decidiram agraciar o público brasileiro em quatro oportunidades. Maria João Pires se apresenta na Sala São Paulo (São Paulo) nesta terça-feira, 8, às 21h, num evento da Sociedade Cultura Artística; na quarta, 9, às 20h, ela estará no Teatro Municipal do Rio como parte da programação da Dell’Arte, e dia 26 se apresenta no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Mas o momento mais ambicioso de sua turnê pelo Brasil acontece de 14 a 19 de outubro no Centro Cultural Baía dos Vermelhos, em Ilhabela, cidade do litoral de São Paulo. Serão cinco dias de workshops de piano (ministrada por ela e pelo pianista sérvio Milos Popovic) e mais um recital de Maria João.

Beethoven e Chopin fazem parte do repertório da pianista no país. Dois compositores que lhe são familiares. Sua gravação de Os Noturnos, do autor polonês, é classificada como essencial pelas publicações especializadas no universo erudito. “Se Chopin tivesse nascido na era dos CDs, ele certamente apreciaria as gravações de Maria João Pires de Os Noturnos”, escreveu o crítico e pianista inglês Stephen Plaistow, que louvou ainda a sonoridade das interpretações da pianista portuguesa. Beethoven, por seu turno, estará representado por duas sonatas: a número 8, também conhecida como A Patética, e a Sonata número 32.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.