Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Tucanos? Ai, que preguiça!

A nação que não quer Lula reeleito está quase sem representação política. Esta é a verdade. Sim, é fato, ninguém chega a ser radicalmente tucano, porque isso é uma impossibilidade dada pelos próprios termos. Exceção feita a José Serra, que sabe onde e por que bate em Lula, dentre os medalhões tucanos da ativa, há […]

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 31 jul 2020, 23h20 - Publicado em 11 ago 2006, 16h44
A nação que não quer Lula reeleito está quase sem representação política. Esta é a verdade. Sim, é fato, ninguém chega a ser radicalmente tucano, porque isso é uma impossibilidade dada pelos próprios termos. Exceção feita a José Serra, que sabe onde e por que bate em Lula, dentre os medalhões tucanos da ativa, há um misto de sonolência e cálculo que chega a ser aborrecido. Prova? Basta ver o barulho que os petistas fizeram tão logo terminou a entrevista de Geraldo Alckmin ao Jornal Nacional. E até com certa razão. Foi uma parada dura. E ele se saiu mal em algumas respostas. E bem em outras. Ontem, Lula foi esmagado. Não porque sobrasse crueldade a William Bonner e Fátima Bernardes, mas porque faltavam argumentos a Luiz Ignorácio Lula da Silva. E, no entanto, qual é a reação tucana hoje, a começar de Alckmin? Pífia. Aécio Neves foi ouvido pelo Estadão a respeito. Leiam: “Não acho, sinceramente, que essas entrevistas tenham efeito eleitoral muito importante. Acho que os programas eleitorais daqui para frente terão. Eu diria que ambos [Alckmin e Lula] tiveram ali uma nota razoável nas respostas que deram“. Agora leiam isto: “A primeira imagem que ficou é de um presidente muito tenso. Trocou várias palavras, ética por corrupção, milhares por milhões e salário por inflação – este último equívoco corrigiu a tempo, até porque ele é o presidente do emprego e do aumento dos salários, com controle da inflação e queda dos juros nominais (ainda que o real ainda seja o maior do mundo).” É José Dirceu em seu blog. O conjunto ajuda a explicar por que Alckmin caiu nas pesquisas e por que Lula subiu. Para ganhar uma eleição, convenhamos, é preciso, antes de tudo, querer ganhar. Sempre que Dirceu estiver de um lado, creio que estarei do outro. Mas isso é até um sinal de respeito. É preciso reconhecer o tamanho do seu adversário. A esquerda aprendeu essa lição. Os democratas a esqueceram. Os calculistas lidam com outros critérios.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.