Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Raposa Serra do Sol – Relator da ONU só ouve grupo que pede reserva contínua

Por Kátia Brasil, na Folha. Volto depois:O relator especial da ONU para os direitos dos povos indígenas, o índio apache James Anaya, visitou ontem o epicentro do conflito entre índios e fazendeiros na terra Raposa/Serra do Sol (RR) e disse que só vai ouvir um dos lados na disputa devido a “limitações de tempo”.O americano […]

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 31 jul 2020, 19h06 - Publicado em 21 ago 2008, 06h29

Por Kátia Brasil, na Folha. Volto depois:O relator especial da ONU para os direitos dos povos indígenas, o índio apache James Anaya, visitou ontem o epicentro do conflito entre índios e fazendeiros na terra Raposa/Serra do Sol (RR) e disse que só vai ouvir um dos lados na disputa devido a “limitações de tempo”.
O americano esteve ontem na Vila Surumu (RR), dentro da terra indígena, onde foi recebido com almoço e dança por lideranças do CIR (Conselho Indígena de Roraima) e de outras entidades favoráveis a que sejam retirados da região os fazendeiros e demais não-índios.
Calcula-se que existam cerca de 18 mil índios na Raposa/Serra do Sol. Parte deles defende a permanência dos fazendeiros e deseja que a área seja homologada com “ilhas” onde os não-índios poderiam plantar. Essa parte dos índios reclama que não vai ser ouvida por Anaya.
“Eu gostaria de visitar a todos que estão interessados em promover a situação dos direitos humanos, mas há problemas de limitações de tempo”, afirmou ele, que vai apresentar relatório sobre o assunto na próxima sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU.
O STF (Supremo Tribunal Federal) julga, no próximo dia 27, o mérito da homologação da terra indígena de 1,7 milhão de hectares em forma contínua. Na recepção, Anaya foi recebido por 700 índios. Jovens pintados com urucum e jenipapo dançaram músicas tradicionais. “Para mim, é uma grande honra estar aqui com vocês e estou muito emocionado com a recepção”, disse Anaya. A conversa entre ele e as lideranças indígenas foi reservada. À Folha, o relator disse que não opinaria sobre o julgamento.
Assinante lê mais aqui

Comento

Alguém está surpreso? Nem com o fato nem com a cara de pau do “índio” da ONU, a maior ONG esquerdopata do planeta. A vinda deste senhor ao Brasil tem um só propósito: tentar intimidar o STF, ameaçando o tribunal com uma repercussão negativa de caráter mundial caso o pleito do CIR, que representa a minoria dos índios da região, não seja atendido.

CIR? Sim. Procurem no arquivo: é aquela entidade ligada ao Conselho Indigenista Missionário, que recebe generoso financiamento da Fundação Ford.

Uma qualidade, ao menos, devemos reconhecer no tal Anaya. Ele não finge: é um descarado sem medo de ser feliz.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.