Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Delcídio contradiz Esteves e diz ter falado sobre Cerveró com banqueiro

Senador petista diz nada temer sobre Pasadena... E por que teria se metido, então, nessa enrascada?

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 00h00 - Publicado em 27 nov 2015, 20h19

O banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, que está em prisão provisória — o prazo limite é domingo, se não houver prorrogação —, afirmou jamais ter conversado sobre Nestor Cerveró com Delcídio do Amaral (PT-MS), que está em prisão preventiva. Um dos dois está contando o oposto da verdade, já que o senador, em seu depoimento, diz ter falado, sim, com o banqueiro sobre a situação do ex-diretor da Petrobras.

Delcídio, no entanto, não quis revelar os termos da conversa e se reservou o direito de ficar calado a respeito. O advogado Maurício Silva Leite diz que seu cliente só não entrou em detalhes porque estava muito cansado e deixou para tratar do assunto em outro depoimento.

Para lembrar: no áudio gravado por Bernardo Cerveró, filho de Nestor, Delcídio diz já ter conversado com Esteves para “encaminhar” o que tinha sido combinado. Segundo a conversa, o banqueiro financiaria a operação de fuga de Cerveró e bancaria uma mesada de R$ 50 mil.

Inverossímil…
A parte mais inverossímil do depoimento — com todo o jeitão de ser falsa — é aquela em que Delcídio nega qualquer vínculo com a venda de Pasadena e o recebimento de propina… Pois é. Então resta a pergunta que não tem resposta: por que ele se meteria em operação tão perigosa, como organizar a fuga?

O senador tenta convencer os ouvintes que o que quer que tenha falado buscava apenar confortar a família de Cerveró. Sei… Delcídio queria confortar a família falando em fuga?

Continua após a publicidade

O depoente também tenta limpar a sua barra no Supremo depois de ter queimado feio o filme com os ministros, né?

Está no depoimento: “Apesar de ter afirmado a Bernardo que já havia estabelecido contato com alguns ministros do Supremo o declarante afirma que isso não ocorreu e que se constituiu na verdade em palavras de conforto”.

Ele confirmou que esteve com Dias Toffoli para tratar de assuntos eleitorais, mas diz não ter conversado com Gilmar Mendes, Teori Zavascki ou Edson Fachin…

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.