Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Começam os bate-bocas e acusações entre correntes rivais do daime

Leiam o que escreve Ricardo Feltrin, na Foha Online. O título acima é meu. Comento no post seguinte. O Cefluris, instituto ambiental daimista ao qual pertence a igreja Céu de Maria, fundada por Glauco, decidiu mover ação criminal contra Emiliano Dias Linhares, 46, ex-PM, conhecido como Gideon Lakota. Ele mantém uma comunidade xamânica em Pariquera-Açu […]

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 31 jul 2020, 15h42 - Publicado em 18 mar 2010, 18h20

Leiam o que escreve Ricardo Feltrin, na Foha Online. O título acima é meu. Comento no post seguinte.

O Cefluris, instituto ambiental daimista ao qual pertence a igreja Céu de Maria, fundada por Glauco, decidiu mover ação criminal contra Emiliano Dias Linhares, 46, ex-PM, conhecido como Gideon Lakota. Ele mantém uma comunidade xamânica em Pariquera-Açu (litoral sul de SP), é inimigo declarado do Cefluris e publicou em seu site uma mensagem com o título “Glauco e Filho — Queima de Arquivo!”.

Em mensagem, vídeos postados no YouTube e em um livro, Linhares afirma que o Cefluris e seus líderes são “narcotraficantes” e que utilizam drogas como crack e cocaína em seus rituais. Ele aponta a Céu de Maria como um desses locais. Em entrevista gravada, de Brasília, Linhares, 46, reafirmou todas as denúncias e disse que estava “fornecendo provas para a Polícia Federal sobre os negócios” da ONG daimista rival.

Em nota, o Cefluris anunciou ações civis e criminais contra Linhares. O centro é presidido pelo jornalista e escritor Alex Polari de Alverga. Enio Staub, secretário do Cefluris, diz que o centro já estava acompanhando o site agressor, da comunidade Céu Nossa Senhora da Conceição.

Continua após a publicidade

“Sempre tivemos por princípio não responder nada a essa pessoa, mas agora ele desrespeita não só a todos nós mas principalmente a imensa dor da família de Glauco. Vamos entrar com todas as ações civis e criminais possíveis”, declara Staub. “Essa pessoa é doente.”

Staub disse que a entidade vai divulgar hoje um comunicado oficial sobre as medidas que pretende tomar contra Linhares e como deve agir, “de forma a preservar a memória e a obra de Glauco, bem como a fé de todos os nossos filiados”.

Entre igrejas no Brasil e no exterior, incluindo a Céu de Maria, são cerca de cem unidades ligadas ao Cefluris — abreviação de Culto Eclético da Fluente Luz Universal. Para o Cefluris, o ataque de Linhares pode ter outro objetivo: ele teria interesse em “monopolizar” a distribuição de daime na região Sudeste — na Amazônia, o litro custa de R$ 18 a R$ 100.

Continua após a publicidade

Na internet, além de divulgar uma tese conspiratória de que o Cefluris estaria envolvido na morte de Glauco, Linhares ataca o uso ritualístico de maconha em igrejas daimistas ligadas ao Cefluris.

Em seu ataque, não poupa mortos: chama Sebastião de Mota Melo (1920-1990), fundador da vila de Mapiá, na Amazônia, de “bandido” e “pitador de maconha” e acusa Alfredo, filho de Mota Melo, atual líder do Céu de Mapiá, de “traficante de pasta de cocaína”.

Ex-PM exonerado da corporação, Linhares se recusou a falar sobre seu passado, bem como de sua relação com a maçonaria (que tem um link-tópico em seu site). “Se quiser falar sobre minha vida pessoal, a conversa acabou”, disse.

Continua após a publicidade

“Tudo que ele fala é um delírio, mas não vai ficar sem resposta”, diz Staub. “Não há um único ritual oficial das igrejas ligadas a nós que faça uso da erva de Santa Maria (maconha)”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.