Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Câmara aprova minirreforma eleitoral

Por Gabriel Castro, na VEJA.com: A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o projeto de chamada minirreforma eleitoral. Foram 222 votos a favor, 161 contra e 1 abstenção. Mas a proposta ainda pode ser alterada por emendas, que ainda serão apreciadas pelos deputados. O texto voltará para o Senado porque sofreu alterações na Câmara. O […]

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 31 jul 2020, 05h10 - Publicado em 16 out 2013, 22h17

Por Gabriel Castro, na VEJA.com:
A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o projeto de chamada minirreforma eleitoral. Foram 222 votos a favor, 161 contra e 1 abstenção. Mas a proposta ainda pode ser alterada por emendas, que ainda serão apreciadas pelos deputados. O texto voltará para o Senado porque sofreu alterações na Câmara.

O projeto torna necessária a divulgação de duas prestações de contas durante as eleições: em 8 de agosto e 8 de setembro. Candidatos e partidos estão submetidos a essa obrigação. A proposta também implementa pequenas mudanças nas regras para a propaganda eleitoral. O texto veta a divulgação de candidaturas em outdoors e trata de detalhes, como o volume máximo dos carros de som (oitenta decibéis) e o tamanho permitido para adesivos (cinquenta por quarenta centímetros).

A proposta aprovada também determina como crime a contratação de pessoas para ofender a honra de adversários na internet, ao mesmo tempo em que permite aos candidatos se manifestarem sobre temas políticos nas redes sociais, sem que isso seja configurado como propaganda fora de época. Os deputados aprovaram uma emenda que facilita o pagamento das multas impostas pela Justiça Eleitoral aos candidatos: o destaque aprovado permite a divisão do pagamento em 60 vezes, e as parcelas não podem ultrapassar 10% da renda do candidato multado.

Alguns itens aprovados pelo Senado foram retirados na versão do relator, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Entre eles, o que limitava a contratação de cabos eleitorais e o que estabelecia que a substituição de candidato na chapa poderia ocorrer apenas até vinte dias antes do pleito. Parte das mudanças se deve à tentativa de permitir a aplicação das novas regras já em 2014 – Cunha acredita que as mudanças pontuais não precisam estar em vigor um ano antes do pleito, como estabelece a regra geral. “Neste momento, o que a gente está colocando é aquilo que se discutiu no Senado; o que a gente está suprimindo é para atender o princípio da anualidade”, disse o peemedebista durante a votação.

O PT votou contra a medida porque defende a realização de uma reforma mais ampla, que altere o sistema político e não apenas as normas eleitorais. “Nós vamos votar por unanimidade: não a essa reforma eleitoral. Porque ela está na contramão de tudo aquilo que nós defendemos, tudo aquilo que foi gerado de expectativa pela sociedade brasileira”, disse o líder do partido na Câmara, José Guimarães (CE). Representantes da oposição apoiaram a proposta, mas argumentaram que as mudanças são pouco significativas: “É uma gota no oceano”, comparou o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG).

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.