Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Baba-obamo-ovismo

Chega a ser divertida essa história de Barack Obama jogar no lixo a promessa de campanha — e medida de governo, diga-se — de retomar os julgamentos de Guantánamo. Não tratar Obama como um deus ainda é fonte de desgaste para qualquer comentarista. O obamismo da imprensa mundial — a brasileira disputando a liderança no […]

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 31 jul 2020, 17h38 - Publicado em 15 Maio 2009, 21h41
Chega a ser divertida essa história de Barack Obama jogar no lixo a promessa de campanha — e medida de governo, diga-se — de retomar os julgamentos de Guantánamo. Não tratar Obama como um deus ainda é fonte de desgaste para qualquer comentarista. O obamismo da imprensa mundial — a brasileira disputando a liderança no “baba-obamo-ovismo” — chega a ser cômico. Publico aqui um texto do dia 14 de janeiro. Vejam que interessante:

Hillary e o “smart power”. Tudo sob C.O.N.T.R.O.L.E
A futura secretária de estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, falou ontem ao Senado. Mundo afora, anuncia-se a nova política externa americana, que seria pautada agora pelo “smart power” — o “pode inteligente”. Huuummm… Ri um pouquinho lembrando do seriado Get Smart (Agente 86) e da impagável personagem vivida por Don Adams, Maxuell Smart… Hillary promete que tudo ficará sob C.O.N.T.R.O.L.E…

“O presidente eleito e eu acreditamos que a política externa deve ser baseada num casamento de princípios e pragmatismo, e não em rígida ideologia; em fato e evidência, e não em emoção e preconceito (…). O poder inteligente requer que busquemos tanto nossos amigos quanto nossos adversários, para fortalecer velhas alianças e forjar novas.”

Ok. Parece bom, né? Vamos ver como funciona na prática. Lembremos que os atentados de 11 de Setembro de 2001 foram planejados durante a gestão do bom, generoso e nada isolacionista Bill… A futura secretária descartou, por exemplo, diálogo com o Hamas enquanto ele não reconhecer o estado de Israel e não renunciar à violência. Parece sensato. E idêntico ao que faz o governo Bush. E quanto ao Irã, que é justamente um dos financiadores do terrorismo palestino? Segundo Hillary, o governo Obama não descarta nenhuma opção — e isso quer dizer a guerra também —, mas pretende uma abordagem nova, já que o que se fez até agora “não funcionou”.

Pois é… E foi nesse ponto que concluí que pouca coisa vai mudar. Até porque, convenham, Bush driblou o problema iraniano e acabou sendo leniente com os aiatolás, deixando, visivelmente, o problema para o seu sucessor. EUA e Europa tentaram todas as mediações ao alcance da diplomacia para brecar o programa nuclear iraniano e deram com os burros n’água. Há gente séria que afirma que os aiatolás estão a três anos da bomba. Obama vai conseguir desarmá-la? Se ele não o fizer, Israel o fará.

Pois é… Tudo como hoje, com a provável exceção da relação com o Irã, que cobrará uma reação mais enérgica de Obama do que a que teve Bush. Tudo bem se pouca coisa mudar, né? Sabemos que os democratas podem fazer tudo o que um republicano faz e, às vezes, com mais dureza. Mas querem alguns que, ao menos, têm dor no coração…

Ah, bom…

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.