Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Sem diálogo

Único quadro do PSOL no Senado, Randolfe Rodrigues tem conversado com colegas de PSB, PDT e PC do B para se encaixar em um bloco que “ajude o governo a ir para a esquerda”. Ao contrário das declaradas intenções do PSOL da Câmara, onde deve ser oposição, Randolfe pediu a Ricardo Berzoini um encontro da […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 02h41 - Publicado em 10 nov 2014, 07h27
Primeiros passos

Falando sozinho

Único quadro do PSOL no Senado, Randolfe Rodrigues tem conversado com colegas de PSB, PDT e PC do B para se encaixar em um bloco que “ajude o governo a ir para a esquerda”. Ao contrário das declaradas intenções do PSOL da Câmara, onde deve ser oposição, Randolfe pediu a Ricardo Berzoini um encontro da bancada do PSOL com Dilma Rousseff.

A propósito, o senador do Amapá anda magoado com o isolamento dentro do partido desde que desistiu da candidatura ao Planalto e renunciou à presidência do PSOL. Luciana Genro chegou a sentenciar, ainda durante a campanha, que Randolfe estaria “quase fora” do partido. Ele prefere esperar um pouco mais, mas não garante continuar no PSOL em 2015:

– A relação tem sido um monólogo, ninguém reabriu diálogo comigo, mas vou insistir até o final do ano.

Continua após a publicidade

Publicidade