Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Popularização das bikes elétricas depende da redução do IPI

Empresários questionam valores em Brasília

Por Manoel Schlindwein Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 30 jul 2020, 19h06 - Publicado em 13 mar 2020, 15h20

As bikes elétricas já nem são lá uma grande novidade nas ruas, mas o preço continua desconfortável. Desse jeito, aliar transporte não poluente à prática de exercícios ao ar livre fica restrito a uma minoria.

Hoje o IPI é de 35%, percentual muito superior aos 10% cobrado das bicicletas comuns e das peças importadas. A equiparação é um clamor dentro do setor, que esteve em Brasília na semana passada para conversar com o governo federal sobre esse incentivo.

“É uma iniciativa em prol do setor e do mercado como um todo, que deve reduzir consideravelmente o preço de bicicletas elétricas, favorecendo a mobilidade para a população”, diz Aneliza Lima, da carioca Lev, líder do setor. A empresa detém quase 1/3 do mercado nacional, tendo vendido 30.000 unidades em seus dez anos de vida. Em 2020, a expectativa é crescer 120%.

Mesmo sem a redução do IPI, a Aliança Bike, entidade que representa o setor, acredita que a produção de modelos elétricos de bicicletas deva crescer 20% em 2020 – algo em torno de 90.000 unidades. Bom para ciclistas e para o trânsito das cidades.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.