Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Maia tenta refazer ponte com Bolsonaro para recuperar o poder perdido

Presidente da Câmara, alvo de ataques de bolsonaristas, esteve hoje com o presidente no Planalto

Por Evandro Éboli Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 14 Maio 2020, 18h40 - Publicado em 14 Maio 2020, 18h40

Rodrigo Maia tem sido um dos alvos preferidos das manifestações antidemocráticas dos bolsonaristas. São várias as imagens de Bolsonaro saudando seus seguidores, vários deles empunhando os cartazes de “Fora Maia”.

Assim foi no ato do QG do Exército e mais recente em frente ao Palácio do Planalto.

Como a política é um dia atrás do outro, Maia esteve hoje no Palácio. Bolsonaro fez questão de recebê-lo no corredor do terceiro andar. Maia era ladeado pelo ministro Luiz Eduardo Ramos e assessores. Se cumprimentaram, rindo.

Em entrevista logo após o encontro, já na Câmara, Maia, em linhas gerais, disse que está sempre aberto ao diálogo com o governo, que já vinha mantendo contato com a equipe econômica.

Continua após a publicidade

Mas o fato é que sua relação com o presidente era péssima.

Entrou em cena, então, o Centrão, que sempre ajudou Maia a se eleger presidente da Câmara. Esse grupo, fisiológico que é, está indo para dentro do governo, o que esvazia Maia como interlocutor do Planalto.

Na sessão de hoje, o líder do PDT, Wolney Queiroz (PE), durante sessão de votação, pediu a Maia que devolva ao Executivo a medida provisória que isenta agentes públicos de responsabilidade sobre ações que envolvam combate ao Covid-19. Na verdade, uma autoproteção a Bolsonaro, que está indo na contramão das orientações da OMS.

Continua após a publicidade

“Essa é uma MP da impunidade, que dá liberdade para matar. É um escárnio, um deboche. Sugiro a Vossa Excelência que devolvesse”, disse Queiroz.

Maia se levantou e nada respondeu. Na coletiva, perguntado sobre o assunto, lembrou não ser dele essa prerrogativa – de devolver MP -, mas do presidente do Congresso, Davi Alcolumbre.

Mas não fez menção de apoio, o que o Executivo agradece.

Continua após a publicidade

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.