Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

José Dirceu vê eleição difícil para Haddad em SP

Para petista, Márcio França (PSB) não tem chances eleitorais e precisa apoiar o PT

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 2 Maio 2022, 21h16 - Publicado em 2 Maio 2022, 21h11

Em reunião com petistas na noite desta segunda, José Dirceu disse que será um “grande desafio” para Fernando Haddad (PT) vencer a eleição para governador de São Paulo neste ano. Ele disse acreditar que o ex-prefeito da capital irá para o segundo turno, mas que a vitória dependeria de fatores que escapam ao controle dos petistas.

Dirceu afirmou que a chapa ideal ao Palácio dos Bandeirantes seria com Haddad como cabeça e um vice que apontasse para o interior do estado, cujos eleitores pendem atualmente mais para o bolsonarismo.

Para ele, Márcio França (PSB) não tem hoje as mesma condições eleitorais que teve em 2018, quando foi ao segundo turno contra João Doria (PSDB), e por isso o ex-governador deveria se candidatar ao Senado na chapa de Haddad.

“Eu quero lembrar: o Márcio foi para o segundo turno porque era governador de Estado. E foi numa situação que não é a de hoje. Nós não estamos em 2018. Estamos em 22”, disse.

O ex-ministro de Lula afirmou que com o eventual apoio de Guilherme Boulos (PSOL) a Haddad, o partido consolidaria “uma posição forte” na grande São Paulo, apesar de ter reconhecido que a campanha ainda precisa “ganhar materialidade”.

Ele mencionou também o aceno que João Doria (PSDB) fez no sentido de um eventual apoio a Lula num segundo turno contra Jair Bolsonaro e questionou sobre quem o governador Rodrigo Garcia (PSDB) apoiaria numa disputa entre o petismo e o bolsonarismo no segundo turno em São Paulo.

“Ir para o segundo turno nós temos grande chance. Vencer a eleição é um grande desafio. Vai depender muito do que fará aquele que não for pro segundo turno. Se for o Tarcísio [de Freitas], o que fará o Rodrigo Garcia e o Doria? Apoiarão o Haddad?”, disse ele em uma reunião do mandato do deputado Emídio de Souza.

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês