Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Em resposta à CPMI, Exército culpa GSI por falhas no 8 de Janeiro

Segundo a Força, as tropas empregadas no Planalto no dia 8 de janeiro "não haviam sido acionadas previamente" pelo Gabinete de Segurança Institucional

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 29 jun 2023, 13h18 - Publicado em 29 jun 2023, 09h56

O Comando do Exército enviou um ofício à CPMI do 8 de Janeiro no qual afirma que as tropas empregadas no Palácio do Planalto naquele dia “não haviam sido acionadas previamente” pelo GSI da Presidência da República, o que era previsto no Plano de Operações “Escudo” do Planalto.

Segundo a Força, isso “impossibilitou o desdobramento prévio das frações e a adoção de um dispositivo preventivo de segurança”.

No dia dos ataques às sedes dos Três Poderes, em Brasília, o Gabinete de Segurança Institucional era comandado pelo general Marco Edson Gonçalves Dias, que pediu demissão em abril após a divulgação de vídeos nos quais ele aparecia caminhando entre invasores do Planalto.

A resposta foi enviada na segunda-feira a um requerimento do senador Sergio Moro (União Brasil-PR), que é suplente da comissão mista. O ofício é assinado pelo general Francisco Humberto Montenegro Junior, chefe do gabinete do comandante do Exército, o general Tomás Paiva.

Continua após a publicidade

Moro enviou uma lista de seis questionamentos:

  1. O Batalhão da Guarda Presidencial (BGP), sob o comando do Tenente Coronel Paulo Jorge Fernandes da Hora e responsável pela segurança das sedes do Poder Executivo federal e outras áreas públicas, dispõe de tropa de choque ou unidade militar especializada em controlar e dispersar multidões em situações de manifestação, bem como isolar o Palácio do Planalto de possíveis invasões ou agressões?
  2. Qual o efetivo disponível em Brasília nos dias 7 e 8 de janeiro de 2023?
  3. Houve convocação específica para atuação da referida unidade militar no Palácio do Planalto, em Brasília, no dia 8 de janeiro de 2023?
  4. Se houve, qual o instrumento que veiculou a ordem emitida na referida convocação em que constem dados relativos ao quantitativo mobilizado bem como data e horário do comando e os destinatários específicos, incluindo todos os anexos?
  5. Qual o efetivo efetivamente empregado na data de 8 de janeiro de 2023, discriminando a atuação e início do emprego da força?
  6. Quais os nome dos comandantes da unidade policial em questão nos dias 7 e 8 de janeiro de 2023?

Veja o documento na íntegra a seguir:

Página: /
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.