Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Deputado questiona alternativa à Zona Franca de Manaus e fica sem resposta

Amom Mandel (Cidadania - AM) diz que proposta da Reforma Tributária não leva em conta empregos de amazonenses

Por Ramiro Brites Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 9 fev 2023, 14h33 - Publicado em 9 fev 2023, 14h30

O deputado Amom Mandel (Cidadania – AM) provocou nesta quarta o secretário especial da Reforma Tributária, Bernard Appy, vinculado ao Ministério da Fazenda, sobre o impacto da proposta nos empregos do Amazonas. O parlamentar quer saber se o governo considera uma alternativa à geração de renda proporcionada pela Zona Franca de Manaus.

A ideia de Appy é uniformizar a tributação sobre a produção e o consumo e acabar com subsídios e regimes especiais, como o da Zona Franca. Mandel questionou o secretário em evento da série “Brasil em Debate”, promovido pelo movimento RenovaBR. 

“Ele estava praticamente dando fim a ZFM e aí a minha pergunta iniciou da seguinte forma: ‘eu quero saber se você tem autorização para contradizer o Presidente da República e o vice-presidente?’, porque o Lula assumiu um compromisso de campanha de não mexer com a Zona Franca de Manaus”, disse o deputado, que relatou à coluna que Geraldo Alckmin reforçou nesta semana o compromisso com a ZFM em uma reunião da Frente Parlamentar do Empreendedorismo. 

O deputado escutou que o governo tem uma alternativa, sem saber qual seria a nova possibilidade. Depois da palestra, o parlamentar abordou novamente o secretário. 

Continua após a publicidade

“Ele me respondeu que não, ele não tem autorização para contradizer o presidente, mas que o que ele estava dizendo não era uma aberração porque de fato eles têm uma preocupação com a Zona Franca de Manaus, e que eles tinham uma alternativa, mas ele não me falou qual era essa alternativa”, contou Mandel. 

“[A reforma] dificultaria o cumprimento da proposta de campanha do presidente Lula de desmatamento zero. Nós temos algumas centenas de milhares de pessoas que dependem disso para pôr comida na mesa, tanto direta como indiretamente, e essas pessoas não teriam outra alternativa para se sustentar, senão recorrer ao extrativismo e coisas do tipo”, seguiu o deputado que, apesar de favorável ao mercado de carbono, avalia como insuficiente para suprir os empregos da Zona Franca. 

Amom Mandel confirmou nesta quinta uma reunião com o secretário Bernard Appy para a manhã da próxima quarta, 15. O encontro pode contar com a presença de outros parlamentares da bancada do Amazonas.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.