Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

CPI das Apostas ouve John Textor, do Botafogo, sobre manipulação de jogos

Acionista majoritário da SAF do alvinegro carioca declara publicamente ter provas de que partidas da Série A em 2022 e 2023 foram manipuladas

Por Nicholas Shores Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 12h08 - Publicado em 22 abr 2024, 10h01

A CPI das Apostas Esportivas no Senado recebe nesta segunda-feira, às 15h, o acionista majoritário da SAF do Botafogo, John Textor. O empresário bilionário dos Estados Unidos fez várias declarações públicas afirmando ter provas de manipulação de resultados de jogos das séries A e B do Campeonato Brasileiro.

Será o primeiro depoimento na comissão de inquérito. No convite ao norte-americano, o relator da CPI, Romário (PL-RJ), escreve que, “como ator influente de nosso futebol e dirigente de importante clube do país, Textor tem o dever de expor o que sabe”.

O presidente do colegiado, Jorge Kajuru (PSB-GO), disse ao Radar que não dava crédito às alegações do acionista do Botafogo – até ser convencido pelo colega de CPI de que as acusações de Textor têm fundamento.

“O Romário me chamou à parte e falou: ‘Pode confiar no Textor que ele tem provas. Ele não tá brincando. Um cara como ele não quer ficar desmoralizado.’ Eu não estava confiando no Textor em nada. Para mim era tudo coisa de fanfarrão”, afirmou o senador goiano ao Radar.

Continua após a publicidade

Recentemente, Kajuru pediu ao diretor-geral da Polícia Federal (PF), Andrei Rodrigues, a abertura de uma investigação para apurar as alegações do dono de 90% das ações da SAF do Botafogo.

Além de ter afirmado, há pouco mais de um mês, que havia obtido uma gravação em que um árbitro brasileiro combinava o pagamento de propina para influenciar o resultado de um jogo, Textor declarou também que as vitórias do Palmeiras sobre o Fortaleza (4 a 0), em 2022, e contra o São Paulo (5 a 0), em 2023, teriam sido manipuladas por vários jogadores dos times perdedores.

Kajuru é autor de convites para ouvir Leila Pereira e Julio Casares, presidentes do Palmeiras e do São Paulo, respectivamente. Os dirigentes dos clubes paulistas reagiram duramente às declarações do acionista botafoguense. “Fanfarrão” foi um dos termos mais amenos usados nas respostas. Leila defendeu publicamente que Textor seja banido do futebol brasileiro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.