Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Coronavírus: Caiado baixa decreto e fecha quase tudo em Goiás

‘Eu tomo decisões como médico, não como político. Não tenho como negociar com o vírus’, diz o governador ao defender medidas mais duras

Por Robson Bonin Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 18 mar 2020, 08h38 - Publicado em 18 mar 2020, 08h28

Depois de enfrentar bolsonaristas que arriscavam a própria vida e a saúde pública de outras pessoas ao se aglomerarem em Goiânia no domingo, em plena pandemia de coronavírus, Ronaldo Caiado tomou medidas ainda mais duras para conter a contaminação no estado.

Médico por formação, ele interpretou os dados da experiência italiana e constatou que as cidades que agiram de forma mais severa, impondo restrições aos moradores, colheram os melhores resultados no combate ao vírus.

Por causa disso, o governador fechou praticamente toda a atividade não essencial no estado. Aliado de Bolsonaro, o governador ignorou a crítica do presidente sobre “histeria” e prejuízos econômicos.

“Não tenho como negociar com o vírus. Minhas decisões são técnicas e científicas. Eu tomo decisões como médico, não como político”, diz Caiado.

No decreto assinado nesta terça à noite, foram suspensos por 15 dias em Goiás:

Continua após a publicidade

Atividades em feiras, inclusive feiras livres;

Atividades em shopping centers, galerias ou polos comerciais de rua;

Atividades em bares e restaurantes, mas serviço de entrega é permitido;

Atividades em cinemas, clubes, academias, boates, teatros, casas de espetáculos e clínicas de estética;

Continua após a publicidade

Atividades de saúde bucal/odontológica, pública e privada, exceto aquelas relacionadas ao atendimento de urgências e emergências.

Caiado registrou que todos os estabelecimentos médicos e hospitalares, além dos laboratórios, farmácias, supermercados, distribuidoras de gás e postos de combustíveis continuarão funcionando normalmente.

Sobre o transporte interestadual, Caiado está esperando a posição do governo Bolsonaro. “Se demorar demais, ele vai bancar e vai buscar a Justiça para fechar”, avisa um interlocutor do governador.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.