Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

“Ainda bem que a Boeing teve um desastre e não quis a Embraer”, diz Lula

Caso citado por Lula envolve acidentes aéreos que mataram 346 pessoas em 2018 e 2019

Por Robson Bonin Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 21 Maio 2024, 17h23 - Publicado em 21 Maio 2024, 15h19

Diferentes aliados do presidente Lula já constataram: o petista não é mais o mesmo, não tem mais a paciência para ouvir nem a prudência para falar sobre determinados temas em público.

Presidente da República, sabe-se, deve medir palavras porque suas declarações reverberam na mesma proporção do poder investido no cargo. Lula, nessa terceira passagem pelo Planalto, coleciona declarações constrangedoras e já bem conhecidas — não é preciso resgatá-las aqui.

Nesta segunda, no entanto, o petista resolveu ampliar sua obra ao falar a empresários reunidos no Palácio do Planalto. Ao defender a ampliação de exportações de produtos brasileiros, Lula citou o fracassado acordo de venda da Embraer para a americana Boeing.

Nós estamos vendendo até coisas que não temos de tanto que as pessoas acreditam que a gente tem. Ainda bem que a Boeing teve um desastre e não quis mais a Embraer. Ela agora voltou a ser uma coqueluche no mundo da aviação”, diz Lula num vídeo da reunião que circula nas redes.

Continua após a publicidade

O desastre que Lula cita acompanhado de um “ainda bem” envolve problemas de fabricação no Boeing 737 Max. Dois acidentes com esse avião mataram 346 pessoas em 2018 e 2019.

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.