Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Econômico

Por Pedro Gil (interino)
Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes e Felipe Erlich
Continua após publicidade

Americanas e Lula ofuscam Davos em semana turbulenta

Recuperação judicial da varejista e declarações polêmicas do presidente preocupam investidores em semana de desânimos

Por Felipe Erlich Atualizado em 21 jan 2023, 10h18 - Publicado em 21 jan 2023, 10h03

VEJA Mercado | Fechamento da semana | 16/01 a 20/01

Apesar da última semana ter sido protagonizada por um dos eventos mais importantes para a economia do planeta, o Fórum Econômico Mundial, em Davos, o escândalo centrado na Americanas seguiu dominando a atenção dos investidores. Com dívida estimada em cerca de 43 bilhões de reais, o dobro do anunciado inicialmente, o pedido de recuperação judicial da Americanas foi acatado pela Justiça do Rio de Janeiro na última quinta-feira, 19. A decisão judicial classificou o processo como “uma das maiores e mais relevantes recuperações judiciais ajuizadas até o momento no país”, destacando a repercussão do caso e seu impacto social, dada a quantidade de empresas e indivíduos afetados. Com o regime atual, a Americanas é obrigada a apresentar um plano de recuperação em 60 dias. A empresa acabou excluída do índice Ibovespa em razão da natureza do tombo. Em seu último dia no índice, na sexta-feira, 20, os papéis da companhia derreteram 31%, cotados a apenas 68 centavos.

Já em Davos, sede do Fórum Econômico Mundial, a imagem do Brasil não foi pautada pelo caso Americanas, mas pela participação dos ministros Fernando Haddad e Marina Silva no evento. Os ministros tiveram uma série de encontros com lideranças de peso, a exemplo das reuniões entre Haddad e Ilan Goldfajn, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e Marina Silva e John Kerry, enviado especial para o clima do governo americano. Os representantes da Fazenda e do Meio Ambiente também aproveitaram o evento para contar sobre suas intenções no governo. Haddad agradou o mercado ao revelar que a nova regra fiscal será apresentada até o mês de abril, antes do que era estipulado, e que contará com o apoio do Fundo Monetário Internacional (FMI) em sua elaboração.

Em geral, a presença do Brasil no fórum não causou grande impacto no humor do mercado. Entretanto, outra sinalização vinda do governo federal incomodou significativamente investidores. Tratam-se de falas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista à GloboNews na última quarta-feira, 18. Ao chamar a autonomia do Banco Central de “bobagem” e criticar a atual meta de inflação, que seria ambiciosa demais, Lula transpareceu despreocupação perante o problema do aumento de preços. Em reação ligeira, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, tentaram pôr panos quentes na situação. Padilha chegou a afirmar textualmente em uma rede social que “não há nenhuma pré-disposição por parte do governo de fazer qualquer mudança na relação com o Banco Central”, a fim de tentar apaziguar a relação entre Lula e o mercado.

Siga o Radar Econômico no Twitter

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.