Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Por que a casa de Jair Bolsonaro caiu

A operação Tempus Veritatis, realizada nesta quinta, 8, pela Polícia Federal, é de fato a “hora da verdade" para o ex-presidente e líder da extrema-direita

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 8 fev 2024, 12h27 - Publicado em 8 fev 2024, 12h00

A casa de Jair Bolsonaro caiu. E quando escrevo a palavra “casa” é no significado bíblico mesmo, que vai desde o sentido literal até a conotação espiritual. No caso desta quinta, 8, o de comunidade.

Alvo mais uma vez de operação da Polícia Federal por ordem de Alexandre de Moraes, o ex-presidente viu hoje a maior ação de agentes do estado contra o seu golpismo desvairado e continuado durante o mandato presidencial que o povo brasileiro lhe conferiu de 2019 a 2022.

Por ser a maior operação contra o bolsonarismo, quase toda a entourage que o cercava – assessores civis e militares, e isso é muito importante – está sendo presa ou alvo de buscas e apreensões.

São 85 ordens judiciais que permitem, entre outras coisas, que policiais vasculhem residências atrás de provas ou coloquem algemas em ex-assessores, padres, presidente de partido e militares de várias patentes, como generais de quatro estrelas.

Daí, o tamanho e a importância da operação.

O golpe que Jair Bolsonaro sempre colocou como uma opção política viável para o país – o ex-presidente é amante da ditadura militar, da tortura, do assassinato de opositores, do fechamento do Congresso e do Supremo – não era apenas uma retórica.

Continua após a publicidade

Ou, força de expressão.

Não, não.

É a raiz do que o líder da extrema-direita brasileira defende como solução para seus anseios: a destruição da democracia. Por isso, Bolsonaro, que se diz perseguido e pede para ser esquecido, não foi até agora – nem por magistrados, nem pela Polícia Federal ou pela imprensa.

A casa do ex-presidente começou a cair não só pela magnitude da operação, pelo enorme número de acusados ou pela “patente” dos nomes envolvidos – Valdemar Costa Neto, presidente do PL, Felipe Martins, ex-assessor especial da presidência, Tércio Arnaud Thomaz, auxiliar do “gabinete do ódio”, Walter Braga Netto, Augusto Heleno, Paulo Sérgio Nogueira, Stevan Teófilo Gaspar de Oliveira, Almir Garnier Santos, oficiais generais -, mas pelo que a ação indica.

A Justiça determina a proibição de contato entre os investigados, a suspensão dos cargos públicos e até a retenção de passaportes, como o documento vermelho do próprio Bolsonaro que deverá ser entregue nas próximas horas.

Continua após a publicidade

Entre investigadores do caso se comenta: quando se apreende o passaporte, o passo seguinte, que parece estar cada vez mais próximo, é a prisão.

Sem exageros.

Mauro Cid, ex-ajudante de ordens que forneceu as principais provas da operação Tempus Veritatis, dando-as de bandeja à Justiça, não estava de brincadeira.

Se transformou numa britadeira contra o bolsonarismo. Vem dele as mais fortes e intensas marretadas na “casa” de Jair Bolsonaro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.