Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

PGR pede ao STF abertura de inquérito para investigar conduta de Pazuello

Augusto Aras sustenta que o Ministério da Saúde demorou a agir contra o colapso em Manaus e apura suspeitas de improbidade administrativa e prevaricação

Por Gabriel Mascarenhas
Atualizado em 23 jan 2021, 19h30 - Publicado em 23 jan 2021, 19h21

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao STF neste sábado, 23, a abertura de um inquérito para apurar suspeitas de omissões e improbidade praticadas pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante o colapso do sistema de saúde em Manaus.

A situação da capital amazonense é dramática. Pacientes internados na redes hospitalar local morrem asfixiados por falta de oxigênio.

Aras atende a um pedido do Cidadania para investigar a conduta de Pazuello. No primeiro momento, o PGR notificou o ministro para que ele se manifestasse. De acordo com a representação assinada por Aras, Pazuello enviou centenas de páginas de documentos com informações que “demonstraram a necessidade de instauração do inquérito”, escreveu Aras.

Na representação enviada ao Supremo, o PGR lista as suspeitas que recaem sobre Pazuello. Afirma que o ministério demorou a agir em Manaus, sustenta que o número de pacientes transferidos para outros estados foi bem menor do que o recomendado e aborda a ausência de embasamento científico para a inclusão da cloroquina como método de combate ao coronavírus.

O PGR detalha na petição: “apesar de ter sido observado o aumento do número de casos de Covid-19 já na semana do Natal, o Ministro da Saúde optou por enviar representantes da pasta a Manaus apenas em 3/1/2021, uma semana depois de ter tomado conhecimento da situação calamitosa em que se encontrava aquela capital. Além disso, o próprio documento informa que o número de casos já havia dobrado (de 88 para 159). A fim de justificar a escolha da data de envio dos técnicos ao estado do Amazonas, o ofício aduz ao “início de mandato de gestores municipais e de possíveis trocas de secretariado”

Continua após a publicidade

A partir das informações prestadas pela própria pasta comanda por Pazuello, Aras afirma que: “apesar dessa recomendação e da informação de que os Estados disponibilizaram 345 leitos do SUS para apoio aos pacientes provenientes de Manaus, os primeiros deslocamentos ocorreram apenas em 15/1/2021 e, até o dia 16/1/2021, somente 32 pacientes haviam sido removidos, ou seja, menos de 10% da capacidade disponibilizada.

Na mesma petição, o PGR requer que Pazuello seja ouvido e pede que os documentos sejam remetidos à Polícia Federal, com o intuito de aprofundar a investigação.

“Considerando que a possível intempestividade nas ações do representado (Pazuello), o qual tinha dever legal e possibilidade de agir para mitigar os resultados, pode caracterizar omissão passível de responsabilização cível, administrativa e/ou criminal, mostra-se necessário o aprofundamento das investigações a fim de se obter elementos informativos robustos para a deflagração de eventual ação judicial”, justifica Aras.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.