Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Lula ataca Marina na questão do petróleo, diz ex-ministro do Meio Ambiente

Carlos Minc, titular da pasta no segundo governo do petista, diz que a ministra é alvo de boicote do Congresso e do próprio governo

Por Victoria Bechara 9 jul 2024, 12h29

O deputado estadual Carlos Minc (PSB-RJ), que foi ministro do Meio Ambiente no segundo mandato de Lula, afirma que o presidente ataca Marina Silva, atual titular da pasta, ao defender a exploração de petróleo na Margem Equatorial, que inclui um lote próximo à foz do rio Amazonas. Ele avalia que houve avanços importantes na área ambiental, mas diz que a ministra é alvo de boicote do Congresso Nacional, do agronegócio e até dentro do governo.

“Querem empurrar goela abaixo a questão do petróleo lá em cima, na Margem Equatorial, na foz do Amazonas”, diz. “Lula fala que ‘nós somos o futuro, nós somos sustentáveis, nos ajudem’, mas ataca a Marina na questão do petróleo. Ele não defende a Marina do ministro de Minas de Energia (Alexandre Silveira, que é a favor da exploração) e do agro como deveria porque ele não está tão forte quanto estava no meu tempo. Tem que abaixar a cabeça”, afirmou.

Minc integrou o grupo que discutia políticas para o meio ambiente durante a transição e participou da elaboração de um diagnóstico sobre a gestão de Jair Bolsonaro na área e de sugestões de medidas para a retomada da política ambiental. Também foi um entusiasta da indicação de Marina para o comando do Ministério do Meio Ambiente.

Pressão

O pedido da Petrobras para explorar petróleo na bacia da foz do Amazonas está sob análise do Ibama. Marina Silva já se posicionou contra a concessão da licença — mas ressaltou que a decisão será técnica, pelo Ibama –, enquanto o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, a presidente da Petrobras, Magda Chambriard, e o próprio Lula já se posicionaram a favor.

Continua após a publicidade

“A Marina recompôs as políticas ambientais, reduziu o desmatamento da Amazônia, retomou a questão climática internamente e a nível internacional. Então, o meio ambiente voltou. Marina é um símbolo nacional, internacional e acho que está fazendo o que pode, apesar de ter gente dentro do governo boicotando ela. Ela é minoritária dentro do governo, fica difícil avançar”, afirma Minc. 

Como mostrou reportagem de VEJA desta semana, os incêndios no Pantanal, a alta do desmatamento no Cerrado e a greve dos servidores do Ibama pressionam Lula justamente na área que deveria ser a grande vitrine de sua gestão. Outro ponto que gera desgaste para o governo é o comportamento dúbio adotado em relação à transição energética. Leia a matéria completa aqui.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.