Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Carlos diz ter devolvido doação irregular de Bolsonaro à sua campanha

Valor doado pelo presidente em dinheiro vivo, R$ 10.000, está acima dos R$ 1.064,10 permitidos pelo TSE para este tipo de doação eleitoral

Por João Pedroso de Campos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 7 out 2020, 20h03 - Publicado em 7 out 2020, 19h53

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) afirmou nesta quarta-feira, 7, no Twitter, que a doação irregular de 10.000 reais em dinheiro vivo feita pelo presidente Jair Bolsonaro à sua campanha de vereador, como mostrou VEJA na terça-feira, foi devolvida.

O motivo para a devolução do dinheiro, segundo Carlos, é seguir o limite imposto pelo Tribunal Superior Eleitoral a doações em espécie nas eleições de 2020, que é de 1.064,10 reais – valores maiores devem ser doados por meio de transferência eletrônica ou cheque cruzado e nominal. Ainda de acordo com o vereador, o dinheiro foi retransferido, mas a atualização ainda não aparece no sistema da Justiça Eleitoral.

“Sobre a doação de Jair Bolsonaro à minha campanha, respeitando nosso eleitores, esclareço que houve um equívoco e que tratamos de corrigi-lo imediatamente, respeitando, como sempre, as regras estabelecidas. Nenhum ilícito cometido”, diz o vereador. “Doação acima de R$ 1.064,10 só é aceita mediante transferência bancária. O recurso, de origem LÍCITA, então foi devolvido e retransferido como esclarece a regra”, completou. 

O dinheiro doado pelo presidente de maneira irregular havia se somado aos outros 10.000 reais que Carlos Bolsonaro havia investido na própria campanha. O aporte do vereador, no entanto, foi feito por meio de transferência bancária.

Continua após a publicidade

Bolsonaro tem colaborado sistematicamente com as campanhas de Carlos: de 2004 a 2016, o valor doado por ele ao Zero Dois foi de 60.500 reais – na maioria das vezes, por meios não eletrônicos. Em 2004, passou um cheque de 10.000 reais; em 2008, fez um depósito em espécie de 15.000 reais; em 2012, mais 12.000 reais em dinheiro vivo; em 2016, três transferências eletrônicas, somando 20.500 reais, além das cessões de um imóvel na Zona Norte do Rio e de um micro-ônibus, no total de 3.000 reais.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) ainda não colocou dinheiro na campanha do irmão vereador neste ano, mas o histórico recente sugere que o Zero Um ainda pode colaborar: ele doou 10.000 reais a Carlos Bolsonaro em 2008, por meio de um depósito em espécie; e mais 10.000 reais em 2012, transferidos eletronicamente.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.