Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

A ameaça de nova seca severa que paira sobre o Nordeste

Crise climática agravada pelo fenômeno El Niño deve manter chuvas escassas em mais de cem municípios

Por Da Redação
Atualizado em 24 out 2023, 12h54 - Publicado em 24 out 2023, 12h51

A grave seca que atinge a região Nordeste desde junho deste ano deve piorar nos próximos meses e continuar, pelo menos, até janeiro de 2024, segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O principal causador da crise é o fenômeno El Niño — aquecimento das águas do Oceano Pacífico que intensifica as chuvas no Sul do país e reduz as precipitações no Norte e Nordeste –, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Centro Nacional de Monitoramento de Desastres Naturais (Cemaden), vinculados ao MCTI.

O monitoramento indica que o ápice do El Niño deve ocorrer entre os próximos meses de dezembro e janeiro, mas o fenômeno continuará agindo ao longo do primeiro semestre de 2024 e pode manter as precipitações escassas também durante o período chuvoso do Nordeste, agravando a crise. “Se não chover na estação chuvosa, as chuvas só deverão ocorrer na próxima estação, que começa a partir de novembro”, afirma Marcelo Seluchi, coordenador-Geral de Operações e Modelagem do Cemaden.

Mais de cem municípios nordestinos estão em situação de seca severa, o que prejudica cerca de 30% das terras férteis na região — no extremo oeste da Bahia, a área afetada chega a 80%. O risco de falta de abastecimento de água ainda é baixo, já que os reservatórios se mantêm em níveis regulares por conta do fenômeno La Niña — oposto do El Niño — que intensificou as chuvas no ano passado. Além do Nordeste, a seca atinge também o Norte do Brasil, que vive uma escassez de chuvas na região da bacia amazônica.


Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.