Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Letra de Médico

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil
Continua após publicidade

Entenda o que é a azoospermia, que provoca infertilidade masculina

Ignorada por muitos homens, ausência de espermatozoides na ejaculação é causa comum de infertilidade masculina, mas tem tratamento

Por Rodrigo Rosa
Atualizado em 26 abr 2023, 12h25 - Publicado em 26 abr 2023, 12h15

É muito comum associar a infertilidade às mulheres, afinal, 50% dos casos de infertilidade estão relacionados exclusivamente a um fator feminino. Porém, os homens também são afetados. Na realidade, 50% dos casos de infertilidade compreendem a infertilidade masculina, seja de forma exclusiva (30%) ou associada a um fator feminino (20%).

E uma das causas mais comuns da infertilidade masculina é a azoospermia, isto é, a ausência de espermatozoides na ejaculação. Ela está presente em cerca de 1% do público masculino.

O problema é que muitos homens demoram para buscar um especialista por ainda pensarem que a infertilidade é um problema exclusivamente feminino ou que a condição interfere em sua virilidade.

A azoospermia pode ocorrer por interferências na produção, armazenamento ou transporte dos espermatozoides. Caso o problema esteja na produção dos espermatozoides, denomina-se azoospermia não obstrutiva. Já se os espermatozoides são produzidos, mas um bloqueio no sistema de transporte impede a ejaculação, a condição é chamada de azoospermia obstrutiva, quadro mais comum.

Continua após a publicidade

As causas da condição podem incluir, no caso da azoospermia não obstrutiva, defeitos genéticos, doenças como varicocele, tumores e danos externos, incluindo traumas e maus hábitos de vida.  A azoospermia obstrutiva, por sua vez, também pode ocorrer devido a doenças genéticas, além de infecções e procedimentos como vasectomia.

Assintomática, não causando impotência sexual, a azoospermia é diagnosticada através do espermograma e, em caso de alteração, pode ser feita uma biópsia testicular para confirmação. Mas é possível que homens com azoospermia tornem-se pais, principalmente porque, em 30% dos casos, os espermatozoides podem ser encontrados nos testículos ou epidídimos, onde são produzidos e armazenados, respectivamente.

Em casos de azoospermia obstrutiva, pode ser realizada punção dos testículos para coleta dos espermatozoides diretamente do epidídimo. Em seguida, é feita a Fertilização In Vitro (FIV). Já nos casos de azoospermia não obstrutiva, são realizados exames para verificar a chance de obter espermatozoides durante o procedimento de micro-TESE, que consiste em uma cirurgia realizada por meio de microscópio para abrir os testículos e capturar os espermatozoides que serão utilizados na FIV. Caso os espermatozoides não sejam localizados, a FIV ainda pode ser realizada com sêmen de um doador.

Continua após a publicidade

O tratamento ideal é indicado após o diagnóstico, sendo importante que casais que estejam tentando engravidar há mais de um ano sem sucesso busquem um especialista para avaliação da saúde reprodutiva feminina e masculina.

* Rodrigo Rosa é médico especialista em reprodução humana, diretor clínico da clínica Mater Dei e do Mater Lab e membro da Associação Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) e da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH). 

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.