Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Em Cartaz

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca
Continua após publicidade

‘The Chosen’: o fenômeno que prova que o Evangelho é pop

Ao colocar em evidência os seguidores de Jesus, ela se tornou um hit, viralizou num aplicativo gratuito e já é abraçada até pela Netflix

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 4 jun 2024, 10h44 - Publicado em 4 jun 2023, 08h00

No sermão da Montanha, Jesus proferiu frases que extrapolaram limites religiosos. “Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados”, diz ele, logo no início. A passagem transcrita nos Evangelhos é recorrente em filmes, séries e novelas cristãs (alô, Record), e encenada sempre de forma imponente, reforçando a aura messiânica e épica de Jesus. Na série The Chosen: os Escolhidos, o caminho é outro. No episódio que abre a terceira e mais recente temporada da produção, Jesus fala enquanto uma música pop com batida de R&B toca ao fundo, dando um ritmo jovial ao sermão. A câmera quase não mira o pregador: ela prefere olhar ao redor, para gente como Pedro, Judas Iscariotes e Maria Madalena. Ao fim, alguns estão extasiados, outros desconfiados, e um sincerão até sugere que a fala foi boa, mas um pouco longa. Jesus, interpretado pelo americano Jonathan Roumie, ri do crítico: em The Chosen, o Messias cristão é sereno, carismático e amigável — estratégia que aproxima o espectador da divindade. Mais acessível ainda são os demais personagens: aqui, os coadjuvantes bíblicos viram protagonistas, refletindo dilemas humanos atemporais — válidos da época de Cristo ao século XXI.

O livro da Bíblia

Os “escolhidos” do título são referência aos que integraram a comitiva de peregrinação de Jesus documentada no Novo Testamento. Para além dos doze discípulos, há outros personagens menos citados nas pregações de igrejas. Caso de várias mulheres, como Maria Madalena, a prostituta acometida por espíritos malignos que se tornou seguidora de Jesus. Aborto espontâneo, doenças incuráveis, dívidas financeiras e lances de violência contra a mulher perpassam o roteiro, em meio a situações cotidianas que vão desde cenas em um bar de apostas até o flerte cômico entre casais. Em um retrato peculiar, o discípulo Mateus, um coletor de impostos, deixa de ser visto como ganancioso para se encaixar no que parece ser um espectro autista — por essa razão, ele sentiria segurança ao seguir regras bem definidas, caso da Lei Romana.

SEGUIDORAS - Maria Madalena na série: ênfase nas mulheres bíblicas
SEGUIDORAS - Maria Madalena na série: ênfase nas mulheres bíblicas (./Divulgação)

Cristianismo puro e simples

Continua após a publicidade

Lançada em 2019, The Chosen está um degrau acima da qualidade sofrível das produções bíblicas recentes — isso, graças a uma produção cuidadosa e um roteiro que foge do óbvio. Mais curioso, porém, foi o modo como desafiou lógicas de mercado. Feita por meio de uma vaquinha virtual que levantou 10 milhões de dólares, a série, gravada no Texas, é transmitida de forma gratuita em um aplicativo que leva o nome do programa, com direito a legendas em diversas línguas, o português incluso. A explosão em audiência — são 390 milhões de espectadores — chamou a atenção das plataformas de streaming: no Brasil, a Netflix e o Globoplay exibem a primeira temporada — lá fora, a série ainda integra o catálogo do Prime Video, da Amazon. Segundo o agregador de conteúdo JustWatch, The Chosen é uma das séries mais vistas entre os brasileiros nos últimos meses — lado a lado com títulos como Succession e Ted Lasso. O lado B da Bíblia também é pop.

Publicado em VEJA de 7 de junho de 2023, edição nº 2844

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA COMPRAR

O livro da Bíblia
O livro da Bíblia
Cristianismo puro e simples
Cristianismo puro e simples

*A Editora Abril tem uma parceria com a Amazon, em que recebe uma porcentagem das vendas feitas por meio de seus sites. Isso não altera, de forma alguma, a avaliação realizada pela VEJA sobre os produtos ou serviços em questão, os quais os preços e estoque referem-se ao momento da publicação deste conteúdo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.